Febre no verão, tatuagem de henna pode causar alergias

Alergia ao uso de bijuterias é um sinal de alerta para evitar procedimento

Henna pode causar dermatite de contato, principalmente nas crianças
Henna pode causar dermatite de contato, principalmente nas crianças Foto: Mauro Vieira

Ter um desenho sobre a pele, mesmo que temporário, é febre durante o verão. Para obter o recurso, uma das opções mais procuradas é a tatuagem de henna, principalmente por crianças e por quem quer apenas experimentar antes de optar por um sinal definitivo. A tatuagem de henna, no entanto, pode causar um inconveniente: alergia na pele, conhecida no meio médico como dermatite de contato.

? A própria henna, se a pessoa for alérgica, as substâncias para aumentar a durabilidade ou os pigmentos para deixar a cor mais escura podem causar a dermatite ? explica Mauren Seidl, dermatologista e professora na Universidade de Caxias do Sul (UCS).

Mauren e Louise Lovatto, também dermatologista e professora, orientaram a aluna de Medicina Carla Cerutti Mattei, 24 anos, em um trabalho sobre a dermatite de contato causada pela tatuagem de henna. Durante cerca de um ano, elas acompanharam o caso de duas crianças que apresentaram reações alérgicas após utilizar o pigmento. A alergia à henna se manifesta por meio de coceira, vermelhidão, formação de bolhas e descamação.

? Uma delas (das crianças acompanhadas) só foi ao médico num segundo momento, quando a coceira e as lesões já haviam passado. A pele já estava com uma marca branca igual à tatuagem, de um escorpião ? relata Carla.

A orientação, no entanto, é procurar um dermatologista logo no primeiro sinal de irritação. O procedimento consiste em, primeiramente, remover a tatuagem. Após, a alergia é tratada com pomadas. Nos casos em que a dermatite evoluiu para mancha branca na pele, o tratamento é semelhante ao aplicado em pacientes com vitiligo, com medicações que estimulam a pigmentação da pele, explica Mauren. Nos dois casos, a pele das crianças não apresentou sequelas após o tratamento. No entanto, o trio sugere que a henna não seja utilizada nos pequenos.

? As crianças são mais sensíveis, têm propensão maior à alergia. Por isso, deve ser evitado que entrem em contato com potenciais alergênicos. O risco não vale a pena – entende Louise.

SINAL DE ALERTA

A alergia ao uso de bijuterias é um sinal de alerta para não fazer qualquer procedimento com henna.

Segundo a dermatologista Rafaela Bergmann Correia, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, o níquel, presente na maioria das bijus, é uma das substâncias químicas adicionadas à henna natural para potencializar a qualidade da pintura. Partículas de chumbo e fósforo também costumam fazer parte da composição.

? O níquel é um grande fator alergênico ? diz Rafaela.

Segundo a dermatologista, não são apenas as tatuagens com henna que podem causar reações. Tinturas de cabelo e até pintura de sobrancelha com henna podem gerar alergias.

Em todos os casos, a orientação é procurar um dermatologista logo ao primeiro sinal de irritação.

:: A henna utilizada em tatuagens e outras colorações é obtida a partir das folhas secas da planta chamada henna.

:: A substância era utilizada em sua forma natural por antigos povos indígenas e egípcios mas, atualmente, é acrescida de substâncias químicas, como chumbo, fósforo e níquel.

:: O tom natural da henna é intermediário entre o vermelho e o marrom. A coloração preta, comum principalmente na pintura de cabelos e sobrancelhas, é obtida por meio do acréscimo de pigmentos sintéticos.

Fonte: pesquisa de Carla Cerutti Mattei e dermatologista Rafaela Bergmann Correia

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna