Fernanda Montenegro interpreta Simone de Beauvoir no monólogo “Viver sem Tempos Mortos”

Peça no Theatro São Pedro tem todas as sessões esgotadas

É perfeitamente compreensível o desejo do público de conferir a atuação de Fernanda Montenegro no monólogo Viver sem Tempos Mortos. A montagem construída a partir da correspondência de Simone de Beauvoir com o companheiro e também filósofo Jean-Paul Sartre foi elaborada graças a estudos empreendidos por Fernanda e pelo tradutor Newton Goldman sobre um dos casais mais célebres e controversos do século 20. 

Em vídeo, veja a entrevista com Fernanda:

? São fragmentos sobre os quais eu me debrucei durante dois anos para fazer uma súmula e dar um cheiro do que é essa mulher e sua obra ? explica a atriz. ? Quando você faz uma compilação, você escreve sobre aquilo que o toca. Se outra pessoa tivesse feito essa compilação, provavelmente outras coisas a teriam tocado.

A atuação de Fernanda Montenegro se concentra no detalhe. Tudo é pensado e concebido para priorizar ideias e pensamentos. O diretor Felipe Hirsch dispensou quase por completo a ação física e os artifícios cenográficos. Fernanda veste calça social e camisa branca, e o cenário tem apenas uma cadeira da mesma cor do tablado.

? Instintivamente, Fernanda se aproximou de Simone de Beauvoir por meio da emoção, pela interpretação exata, tornando o espetáculo intimamente ligado às palavras ? analisa Felipe Hirsch.

Viver sem Tempos Mortos estreou em 2009, no Rio, e rendeu a Fernanda Montenegro o Prêmio Shell de Melhor Atriz em 2010. A crítica carioca Barbara Heliodora não poupou elogios à grandeza de Fernanda em cena: “A quantidade de informação sobre a vida e a obra da filósofa francesa é tamanha que tudo poderia resultar em uma quase aula, não fosse a atuação de Fernanda Montenegro, cujo mais que reconhecido talento faz cada fato, cada pensamento, cada emoção pulsar de vida, transformando tudo em uma extraordinária experiência estética, intelectual, emocional”, escreveu.

A escritora e dramaturga Manoela Sawitzki assim descreveu a magnitude da atriz: “Com gestos contidos, olhares nuançados, sutis alterações de voz, ela se empenha em desvendar uma identidade complexa, que se revela também nas entrelinhas. Não é preciso nada além de calça social e camisa branca: a atriz se veste de sua personagem. Nem mesmo são necessárias movimentações, mudanças de cenários e luz: o abstrato torna-se palpável porque estamos diante de uma atriz que já não faz teatro, é habitada por ele”.


Viver Sem Tempos Mortos

De quinta a sábado, às 21h; domingo, às 18h. Duração 60min. Classificação: 14 anos

Theatro São Pedro (Praça Marechal Deodoro s/nº), na Capital. Fone (51) 3227-5100

Ingressos: estão esgotados para todas as sessões.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna