Ficar deitada na primeira fase do parto prolonga processo

Adotar outras posições pode acelerar o nascimento do bebê

Estudo comprovou que a duração do parto diminuiu quase uma hora entre as mulheres que ficaram erguidas
Estudo comprovou que a duração do parto diminuiu quase uma hora entre as mulheres que ficaram erguidas Foto: Divulgação, stock.xchng

Deixar a mulher deitada nas primeiras fases do parto prolonga o processo em aproximadamente uma hora. Segundo uma recopilação de estudos sobre o tema, é muito melhor que a futura mãe fique em pé, sentada ou caminhe.

Pesquisadores da Cochrane Collaboration, formada por voluntários que realizam relatórios com dados recolhidos do mundo inteiro, chegaram a esta conclusão após analisar 21 estudos realizados em países desenvolvidos desde os anos 60, com a participação de 3,706 mil mulheres.

A primeira fase do parto diminuiu em aproximadamente uma hora entre as mulheres que ficaram em posição erguida, em comparação às que ficaram deitadas, segundo o relatório, publicado no site da Cochrane Library, instituição sem fins lucrativos com base no Reino Unido.

– Na maioria dos países em desenvolvimento, as mulheres permanecem em pé ou caminham durante as fases adiantadas do parto sem sofrer efeitos adversos – afirma a autora principal do estudo, Annemarie Lawrence, do instituto de saúde materno-infantil do hospital de Townsville em Queensland, na Austrália.

Segundo Lawrence, os dados mostram que há benefícios e nenhum risco ao ficar erguida ou em movimento durante a primeira fase do parto. Por isso, recomenda que as mulheres adotem qualquer posição que considerarem mais confortável e evitem ficar deitadas.

Os pesquisadores indicam que é necessária mais informação para entender como as diversas posições para dar à luz influem nos níveis de dor, controle e satisfação entre as parturientes.

Leia mais
Comente

Hot no Donna