Figurinistas, consultores de moda e estilistas dão sugestões para aprimorar o estilo de Dilma Rousseff

Nova presidente eleita recebe sugestões como a de usar salto maior para afinar a silhueta

Dilma veste terninho no discurso após ser eleita presidente do Brasil
Dilma veste terninho no discurso após ser eleita presidente do Brasil Foto: AP

Como deve ser o visual de uma presidente da República? Discreto? Personalíssimo? Exuberante? Enigmático? Opiniões não faltam quando o tema é como deve se vestir Dilma Rousseff. Figurinistas, consultores de moda e estilistas apostam na alfaiataria sofisticada e recomendam que a primeira mulher presidente do Brasil aumente um pouco o salto para alongar mais a silhueta.

:: Relembre em fotos a transformação do visual de Dilma

O terno é a roupa ideal para Dilma, tanto pelo cargo que ela ocupa quanto por seu tipo físico. Quem aconselha é a estilista Mara Mac:

— Mas acho que seus terninhos deveriam ser mais femininos, com cortes menos quadrados e retos. Um desenho levemente acinturado afinaria a silhueta, assim como as golas menores. Faria menos volume.

Guilherme Guimarães gosta do que vê.

Acha as pérolas muito apropriadas para a presidente eleita, aprova as intervenções do cabeleireiro e maquiador Celso Kamura no visual e torce o nariz para os que querem transformá-la numa mulher fashion.

— A Dilma tem muita personalidade. As pessoas devem entender que ela é uma mulher de política, a primeira mulher presidente do Brasil, e ninguém deve esperar que siga tendências de moda. Ela tem um estilo clássico e deve fugir de toda e qualquer tendência — aconselha o estilista.

Para Heckel Verri, estilista e dono da loja que leva seu nome, a partir de agora Dilma deve apostar num visual que passe muita coerência e bom-senso. E como seria isso?

— Mostrar coerência e bom-senso sempre foi a marca de mulheres que estiveram no poder, como Margareth Thatcher e Eva Perón. Elas souberam associar o visual ao poder que tiveram. Minha avaliação da futura presidente até agora foi favorável. Dentro do possível, ela se manteve correta. Não é fácil ser elegante tendo que comparecer a eventos de características completamente diferentes, todos os dias. Uma hora ela estava no Sul; outra, no Nordeste.

Heckel Verri teria sugestões?

— Em eventos informais, sugiro camisaria de seda ou tricoline com calças muito bem cortadas. Para eventos formais, alfaiataria mais elaborada.

O pesquisador de moda Marco Sabino diz que as roupas de Dilma não fazem sua cabeça.

— Ela não transmite preocupação com moda, nem eu procuro isso nela. A Dilma é clássica, mas seus ternos e tailleurs deveriam ser mais caprichados, mais bem cortados, sem repuxados.

Já o consultor Julinho Rego não tem opinião formada ainda:

— Não acho o visual dela bonito, não acho feio, não acho nada, ainda não consegui entender. Como entendo de moda de homem, não entendo muito de moda de mulher, prefiro esperar um pouco para dar minha opinião. Por enquanto, ela me parece um bolo de padaria.

A maioria aprova o visual criado por Celso Kamura. Como a consultora de moda Hiluz Del Priore.

— Ele fez um excelente trabalho visual de rosto, cabelo e proposta de maquiagem. Mas Dilma deve tomar cuidado, porque às vezes a maquiagem fica um pouco pesada. Ela fica melhor com a maquiagem mais suave.

Hiluz lembra que, quando Bill Clinton assumiu a Presidência dos Estados Unidos, a mulher Hillary “era uma tragédia”.

— O quadril da Hillary era enorme, mas os tailleurs mais alongados para disfarçar o quadril caíram bem. No caso da Dilma é preciso também acentuar mais a cintura para desenhar melhor a silhueta. Ela deve fugir dos paletós curtos e largos. Não dá para dar uma de Michelle Obama e sair por aí de vestidinho de poás, tem que ficar só no tailleur e no terno.

Outro detalhe que Hiluz reparou foi a altura dos saltos de Dilma.

— Eles são muito baixos, não favorecem. Ela deve usar saltos como os da rainha Elizabeth. É um pouco mais alto, grosso, confortável, ajuda a alongar a silhueta — recomenda Hiluz, que faz questão de frisar, no entanto, que Dilma não tem que que ser uma sílfide, mas, sim, competente.

Como está acima do peso, a presidente deve preferir roupas que façam menos volume. Essa é a opinião da coordenadora de moda do caderno Ela, de O Globo, Patricia Veiga.

— Os ternos são a melhor aposta, principalmente os levemente cinturados. Como Dilma será a autoridade máxima do país, deve vestir roupas de excelente qualidade para ficar impecável. E de estilistas brasileiros, uma forma de prestigiar a nossa indústria.

Badulaque contra o mau-agouro

Cao Albuquerque, que assina os figurinos de “A grande família”, não gosta do visual de Dilma, mas admite que ela melhorou muito durante a campanha.

— Ela está longe dos cânones da elegância. Acho seu guarda-roupa sem personalidade, ela precisa de um visual mais contemporâneo.

E o que seria um look mais contemporâneo?

— A solução para ela é o terninho, mas existem terninhos e terninhos. O que ela usou no último debate com José Serra, no “Jornal Nacional”, estava mais para recepcionista do Palácio da Alvorada do que para futura presidente — critica Cao. — A roupa de Dilma continua muito pesada, me incomoda que ela não tenha ternos riscas de giz ou com recortes.

Os blogs também esbanjam conselhos para a presidente eleita. Um deles é o da fotógrafa Marina Sprogis, especialista em clicar desfiles nas passarelas: “Acordei hoje com vontade de ajudar a Dilma. Não é boicotando que vamos chegar a algum progresso, não é? Meu negócio é estilo e moda, então achei simpático ajudar um pouquinho nossa presidente tentando dar um ar menos duro ao seu look, tenho certeza que até o discurso iria ficar mais ameno e simpático”.

Mas será que a presidente se preocupa com tantas opiniões contra ou a favor? Tudo indica que só um pouquinho. Aquele olho grego que observamos preso a sua pulseira, na foto em que ela está usando um paletó azul, é para garantir que não há mau-agouro que se aventure por ali.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna