Filme, livro e exposição marcam os 85 anos do nascimento de Marilyn Monroe

Estrela de cinema que virou ícone sexual internacional ganha homenagens neste ano

Exposição sobre a atriz será aberta em junho em São Paulo
Exposição sobre a atriz será aberta em junho em São Paulo Foto: Mube, Reprodução

Desde que se consagrou como o maior símbolo sexual da história do cinema, Marilyn Monroe tornou-se um ícone onipresente que a morte prematura só fez intensificar. Mas 2011 promete multiplicar a presença da blonde nas celebrações que marcam os 85 anos do nascimento da atriz, batizada Norma Jean.

Está marcada para 1º de junho, justamente o dia de aniversário da estrela de filmes como O Pecado Mora ao Lado e Quanto Mais Quente Melhor, a abertura da mostra Life as a Legend – Marilyn Monroe, no Museu Brasileiro da Escultura (Mube), em São Paulo. Pela primeira vez na América Latina, a exposição reúne quase 300 obras inspiradas na atriz, em estilos e abordagens que vão da fotografia de moda à Pop Art, passando por cenas de filmes e flagrantes da vida íntima. Com peças assinadas por nomes como Henri Cartier-Bresson e Andy Warhol, a atração está em turnê desde 2003 e já foi vista na Europa e na América do Norte.

Também está a caminho mais um filme que tenta lançar luz sobre a vida de uma das mais conturbadas divas do cinema. Em fase de pós-produção, My Week With Marilyn (Minha Semana com Marilyn, em tradução livre) baseia-se no livro de Colin Clark, que conta a passagem de Marilyn pela Inglaterra para as filmagens de O Príncipe Encantado ao lado de Laurence Olivier. Na ocasião, coube a ele ciceronear a estrela americana e, por tabela, acompanhar de perto sua busca por fugir das pressões e do controle de Hollywood.

Quem encarna a mítica loira é Michelle Williams, duas vezes indicada ao Oscar (por Brokeback Mountain, em 2006, e Namorados para Sempre, nesta última edição), mas ainda mais conhecida por sua participação no seriado adolescente Dawson’s Creek e por ser viúva de Heath Ledger. O filme traz também no elenco Emma Watson, Kenneth Branagh, Judi Dench, Julia Ormond e Dougray Scott.

Ainda este mês, a L&PM lança uma biografia intitulada Marilyn Monroe. De autoria de Anne Plantagenet, o livro acompanha a trajetória da atriz desde a infância, marcada pela ausência da mãe e pelos lares adotivos, recorda a descoberta da sensualidade na adolescência, o casamento precoce, o início na profissão e a transformação na loira mais desejada do cinema.

Mas, ao contrário da Gata Borralheira, o estrelato, a fama e os amores não garantiram a Marilyn a redenção: pouco a pouco, ela sucumbe às pressões e ao peso de ser uma diva sem igual aos olhos do público e dos estúdios e à frustração por não se sentir reconhecida como atriz. Em circunstâncias que ainda hoje suscitam especulações, Marilyn saiu definitivamente de cena em 5 de agosto de 1962, quando morreu aos 36 anos, alçada à condição de um dos personagens mais marcantes da cultura pop.

Leia também
:: Textos íntimos de Marilyn Monroe revelam uma poetisa desconhecida

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna