Filmes e livros que narram belas histórias de reencontros amorosos

Por algum motivo, cada um foi para o seu lado. Anos depois, o destino os coloca frente a frente

Em Cartas para Julieta, personagem de Amanda Seyfried inspira casais a procurarem antigos amores
Em Cartas para Julieta, personagem de Amanda Seyfried inspira casais a procurarem antigos amores Foto: Paris Filmes

Em cartaz nos cinemas, o filme Cartas para Julieta narra uma dessas coincidências da vida que a sétima arte tão bem ilustra: o reencontro. Nele, a personagem da atriz Amanda Seyfried descobre no muro da casa onde supostamente viveu Julieta, uma das heroínas de Shakespeare, uma carta escrita há meio século.

A correspondência a conduz até a senhora interpretada pela veterana Vanessa Redgrave, que na trama reencontra um amor do passado. O detalhe curioso é que a própria atriz está, de fato, às voltas com a reaproximação de uma paixão antiga. Ele é Franco Nero, o ator com quem contracenou no musical Camelot, em 1967. Os dois tiveram um relacionamento, separaram-se e, após décadas, voltaram a se unir. Para dar mais charme à trama, o próprio Nero vive seu par romântico no filme.

Não é raro encontrar casos assim longe da ficção.

– Penso que destino, sorte e decisões pessoais se misturam para isso que chamamos de golpes bons ou maus na vida. Não há muita explicação. Encontros, reencontros, descobertas, dependem em parte de nossa visão de vida, de nossa postura. Se formos pessimistas e lamurientos, tudo é ruim. Se apostarmos mais na vida, quase tudo tem algo de bom – reflete a escritora Lya Luft, que recentemente lançou o livro Múltipla escolha (Editora Record), e já viveu uma experiência parecida.

Encontrar novamente um amor do passado, seja por uma grande coincidência ou por iniciativa própria, não significa encontrar a mesma pessoa. O tempo, a distância e as experiências mudam e moldam as pessoas de diferentes formas. Passados os anos, aquele homem é apenas a lembrança do jovem e a mulher estará mais madura e vivida.

– Os encontros amorosos guardam uma idealização. A gente só pode dizer que houve um reencontro quando as pessoas se percebem do mesmo jeito, mas isso é muito difícil de acontecer. Na verdade, são novos encontros – constata a psicanalista Antônia Verdésio.

Talvez por isso seja tão desconcertante rever o grande amor, como diz Chico Buarque na letra de Anos dourados. Imprevisível por definição, rever alguém tão importante requer um pouquinho de sorte, uma mão do destino e muita coragem.

No cinema

Tarde demais para esquecer (1957)
:: Neste clássico dirigido por Leo McCarey, Cary Grant e Deborah Kerr interpretam Nickie e Terry, um playboy mulherengo com casamento marcado. Ela é uma ex-cantora prestes a se casar. Num cruzeiro, eles se apaixonam e marcam um encontro, dentro de seis meses, no Empire State Building. Um acidente com Terry promove um desencontro, mas, anos depois, o casal se reencontra num desfecho emocionante.

Em algum lugar do passado (1980)
:: Num dos poucos papéis dramáticos de Christopher Reeve, o ator revela sensibilidade ao conduzir a história de um teatrólogo intrigado com uma senhora que o reconhece na estreia de uma peça. A partir daí, pesquisa a história dessa mulher, que em 1912 foi uma bela e famosa atriz. A muito custo, ele consegue voltar no tempo pela hipnose e reencontrar aquela que foi um grande amor do passado.

Amor à primeira vista (1984)
:: Estrelado por dois grandes atores de Hollywood, Meryl Streep e Robert De Niro, o filme mostra o dilema de Frank e Molly, duas pessoas casadas que se apaixonam, mas não veem perspectiva para um romance. A trama, sensível e nada óbvia, mostra o desenlace do encantamento entre um homem e uma mulher já comprometidos e como, ao se reencontrarem, escrevem uma nova história.

A casa do lago (2006)
:: Nessa trama sobre amantes que se desencontram no tempo, Sandra Bullock interpreta uma médica solitária e Keanu Reeves, um arquiteto. Ambos moram na mesma casa com vista para um lago, mas não sabem que estão em tempos diferentes: ela, em 2006 e ele, em 2004. Depois de trocarem correspondências, eles decidem se encontrar.

Na literatura

Amor nos tempos do cólera
Gabriel García Márquez, Ed. Record
:: Ainda muito jovem, o telegrafista, violinista e poeta Gabriel Elígio Garcia se apaixonou por Luiza Márquez. O romance enfrentou a oposição do pai da moça que tentou impedir o casamento enviando a filha ao interior em uma viagem de um ano. Para manter seu amor, Gabriel montou, com a ajuda de amigos telegrafistas, uma rede de comunicação que alcançava Luiza onde ela estivesse. Essa é a história real dos pais de Gabriel García Márquez, marcada por vários encontros e reencontros.

Persuasão
Jane Austen, Ed. Landmark
:: Anne Elliot se apaixona pelo humilde e ambicioso jovem oficial da Marinha, capitão Frederick Wentworth. Convencida pela família que não concorda com o romance, Anne rompe o relacionamento amoroso. Anos depois, ela reencontra Frederick, agora cortejando sua amiga e vizinha, Louisa Musgrove.

Travessuras da menina má
Mário Vargas Llosa, Ed. Alfaguara
:: O peruano Ricardo vê realizado, ainda jovem, o sonho que sempre alimentou ? o de viver em Paris. O reencontro com um amor da adolescência o trará de volta à realidade. Lily, inconformista, aventureira e pragmática, o arrastará para fora do pequeno mundo de suas ambições. Ricardo e Lily ? ela sempre mudando de nome e de marido ? se reencontram várias vezes ao longo da vida, em diferentes cidades do mundo: na Paris revolucionária dos anos 1960; na Londres das drogas, da cultura hippie e do amor livre dos anos 1970; na Tóquio dos grandes mafiosos dos anos 1980; e em Madri, na transição política dos anos 1990.

Desesperadamente Giulia
Sveva Casati Modignani, Ed. Record
:: Giulia é uma escritora de renome. Ermes é um cirurgião famoso. Ambos vêm de mundos diferentes e ambos têm passados que os marcaram profundamente: conheceram o sacrifício, o fracasso e o sucesso. Quando se reencontram, após 20 anos de afastamento, vão viver finalmente o amor que na sua juventude não puderam concretizar.

Leia mais
Comente

Hot no Donna