Gastronomia se transformou num lucrativo filão entre os canais fechados de TV

A diversidade dos programas é um prato cheio para os espectadores

Nigela Lawsson foi uma das pioneiras da nova fase de programas de TV sobre gastronomia
Nigela Lawsson foi uma das pioneiras da nova fase de programas de TV sobre gastronomia Foto: Divulgação

A cozinha pode ser industrial, aconchegante, ao ar livre, improvisada ou até despedaçada. O importante está no comando. O cozinheiro funciona como showman. E nessa descrição entram todos os tipos de personalidades. Tem o cara da lambança, a moça de curvas fartas, o francês abrasileirado, o estressado briguento e o bonitão elegante.

Os programas de gastronomia invadiram os canais da televisão a cabo e esse fenômeno já completa uma década. Na esteira de celebridades como Nigella Lawsson, Jamie Oliver, Gordon Ramsay e Anthony Bourdain apareceram outros, menos badalados, mas muito presentes quando se trata de culinária e gastronomia.

Os canais GNT e Discovery são os campeões de programas. As manhãs de sexta-feira trazem um pacote no GNT. Entre 9h e 11h30min, o espectador se depara com Nigella, Claude Troisgros, Olivier Anquier, Chuck e Jamie Oliver. No Discovery Home and Health e Travel & Living a grade inclui programas de gastronomia todos os dias, a partir das 22h. Nesses predomina a combinação entre viagens e gastronomia.

Chefs como Anthony Bourdain e Eduardo Osuna viajam pelo mundo à procura de sabores e restaurantes. Os reality shows são um caso à parte. Chefs iniciantes aprendem a montar um cardápio e figuras, como o badalado Gordon Ramsay, dono de 22 casas espalhadas pelo mundo, infernizam a vida de donos de restaurantes para organizar cozinhas caóticas.

 O formato clássico, com apresentação de receita e modo de execução, cedeu espaço a programas que extrapolam a intenção de apenas ensinar. Viajar pelo mundo e descobrir a cultura por meio da culinária ou acompanhar os bastidores dos restaurantes são variações sobre a mesma temática.

Há menos de três décadas, A cozinha maravilhosa da Ofélia era uma das poucas opções de programas de culinária na televisão.

Viagens, gastronomia e variedades
» É o filão da Discovery Travel &Living. Na grade, nove opções de chefs viajantes. O formato faz sucesso, embora não ensine o espectador a cozinhar. A ideia é visitar culturas do mundo sob o pretexto da culinária. Comidas exóticas e Anthony Bourdain: Sem reservas estão entre os mais conhecidos. No primeiro, Andrew Zimmern come insetos na Tailândia e frutos do mar melequentos no Chile. Bourdain prefere a sofisticação e avisa que seu programa não é sobre comida, mas sobre culturas.

? A fórmula do Bourdain é ele mesmo. É muito importante essa receita ter consistência com uma pessoa que tenha o fator entretenimento. Só turismo não segura um canal sete dias por semana. Então temos que fazer turismo relacionado à cultura ? explica André Rossi, diretor de programação da Discovery.

A fórmula se repete em A volta ao mundo em 80 sabores, no qual Eduardo Osuna visita sabores exóticos (de preferência) sem sair da própria cozinha e em Ásia: sabor e cultura , Bobby Chinn explora as estranhezas das comidas de rua de cidades asiáticas, com direito a visitas a mercados.

Reality shows
» O cotidiano de profissionais da área de gastronomia só não atrai mais atenção das lentes que a combinação viagem-comida. Aqui a celebridade é o britânico Gordon Ramsay, tirânico na avaliação da disputa dos chefs de Hell’s kitchen (Liv) e implacável na missão de salvar cozinhas de restaurantes em Kitchen’s nightmares (Fox).

O Top chef  (Sony) segue o mesmo formato com competição de chefs avaliados por júri de celebridades. Natalie Portman, Anthony Bourdain e Nigella Lwasson já participaram do programa. No Discovery Home&Health, Curtis Stone ensina os participantes a cozinharem na própria casa em Chef a domicílio e Emeril Lagasse convida os frequentadores de um mercado de produtos orgânicos a cozinharem in loco com ingredientes à venda em Emeril: Eco-Gastronomia. Em Cake Boss (Liv) as câmeras acompanham os bastidores da confeitaria de Buddy Valastro, conhecido nos Estados Unidos por confeccionar bolos temáticos.

Cozinha simples e aconchegante
» É a fórmula tradicional, com algumas modificações que fazem dos programas verdadeiros espetáculos. O segredo está no carisma do apresentador. Nigella Lawsson e Jamie Oliver são as estrelas. Ela fez sucesso com receitas simples e uma cozinha aconchegante e Oliver, com o dinamismo e o jeito moleque de bagunçar o balcão. O GNT é a meca desses programas. Por lá circulam também o agitado Gerry Garvin, Olivier Anquier e Claude Troisgros, chefs franceses radicados no Brasil. A cozinha de Gavin parece palco de show de hip-hop de tão dinâmica. Mais calmo, Anquier mistura sessões na cozinha com viagens pelo Brasil em em Diário do Olivier. Troisgros segue a fórmula dos convidados. Que marravilha! Tem sempre uma celebridade, pretexto para o chef e adorno para captar audiência.

Leia mais
Comente

Hot no Donna