Genética pode determinar menor necessidade de horas de sono

Mulheres tendem a confiar mais nos homens que se parecem mais com elas
Mulheres tendem a confiar mais nos homens que se parecem mais com elas Foto: stock.sxc

O fato de algumas pessoas dormirem pouco e acordarem bem dispostas no dia seguinte pode ter relação com aspectos genéticos, diz um artigo publicado pela revista Science. Segundo o estudo, algumas pessoas estão programadas geneticamente para precisar de menos horas de sono.

Um grupo de cientistas identificou uma mutação genética que parece ser, pelo menos em parte, responsável por levar certas pessoas a dormirem menos. A mutação genética em questão é provavelmente rara, mas o estudo dá novas pistas para estudar os efeitos do sono na saúde humana.

Embora o sono seja um processo essencial para a vida, os circuitos cerebrais que regulam esta necessidade e os mecanismos celulares e moleculares envolvidos neste “complexo processo são ainda bastante enigmáticos”.

O estudo começou com uma família na qual mãe e filha dormem seis horas por dia, enquanto o restante dormia pelo menos oito. Depois, a pesquisa foi feita com ratos geneticamente modificados. Os pesquisadores sequenciaram vários genes e descobriram que uma variante do gene DEC2 era compartilhada pela mãe e pela filha, mas não pelo resto da família.

Este gene, segundo o estudo, bloqueia a expressão de alguns outros genes, e já tinha sido relacionado com a regulação de processos que ocorrem a cada 24 horas em seres humanos. Os pesquisadores então compararam os ciclos de sono e a atividade cerebral de ratos modificados, que não só dormiram menos, assim como precisaram de menos tempo para se recuperar de um período sem dormir.

Leia mais
Comente

Hot no Donna