Gilles Lipovetsky visita centro popular de compras em Porto Alegre

Filósofo francês dise que modelo de inclusão social do PopCenter pode ser replicado em países emergentes

Gilles Lipovetsky visitou o PopCenter durante uma hora nesta quinta-feira
Gilles Lipovetsky visitou o PopCenter durante uma hora nesta quinta-feira Foto: Tadeu Vilani

O filósofo francês Gilles Lipovetsky, que viajou a Porto Alegre para realizar palestra sobre o mercado de luxo mundial, visitou o PopCenter, também conhecido como Camelódromo, na manhã desta quinta-feira (28/2).

Lipovetsky elogiou o centro popular de compras e disse que é um modelo a ser seguido por outras regiões do Brasil e por outros países em desenvolvimento para estimular pequenos empreendedores.

A visita do filósofo começou ao meio-dia e durou uma hora. Nesse período, ele percorreu os corredores do PopCenter e foi recebido como celebridade pelos lojistas com quem interagiu, por meio de uma intérprete de francês. Tirou foto com uma comerciante. Outra pediu autógrafo.

? Vou botar em um quadro ? diz Cleusa Maria Portela, 56 anos. ? Afinal, não é todo dia que tem na porta uma pessoas importante. Sei que ele é um francês, professor de moda.

De lembrança, Lipovetsky recebeu da direção do PopCenter uma camisa da Seleção brasileira assinada por alguns lojistas. O centro comercial abriga cerca de 800 estabelecimentos, onde trabalham mais de 3 mil pessoas. O local recebe 35 mil visitantes por dia.

? O mercado permite que pessoas que estavam marginalizadas entrem em um processo de integração social ? disse o filósofo à imprensa. ? As pessoas podem sair de um comércio subdesenvolvido para entrar verdadeiramente em uma sociedade moderna, com mais higiene, com regras. Penso que é uma experiência formidável. A cidade e o mercado vão contribuir para a integração social, mas não dando dinheiro para eles, e sim ajudando-os a se tornarem mais responsáveis. Não podemos dar subvenções ilimitadas o tempo todo. Espero que esse modelo se desenvolva no país e talvez em outros lugares.

Segundo Lipovetsky, o projeto pode servir de inspiração para medidas semelhantes em países emergentes. Ele destacou a importância do trabalho como forma de os indivíduos assumirem responsabilidade por suas próprias vidas.

? O consumo não deve ser uma religião. Existem excessos porque, às vezes, as pessoas acham que o ideal da vida é a moda. Mas é necessário combater essa visão. A experiência aqui (no Pop Center) vai nesse sentido. Antes de consumir, é preciso trabalhar. É preciso ajudar as pessoas para que elas possam trabalhar, e não apenas consumir.

Segundo Elaine Deboni, diretora do PopCenter, cerca de 60% dos comerciantes do local são “legalizados”, ou seja, emitem nota fiscal. Ela realiza um trabalho de valorização da imagem do centro.

? Luxo é o serviço bem feito. Não é só marca. Meu desejo é que as pessoas venham aqui para se sentir atualizadas.

Filósofo francês Gilles Lipovetsky tenta se comunicar com ambulantes durante visita ao Pop Center em Porto Alegre. Veja vídeo:

Leia mais
Comente

Hot no Donna