Gordura lipoaspirada retorna e se distribui por outras partes do corpo, mostra estudo

Apesar da popularização do procedimento, não era comprovado que ele funcionava a longo prazo

Hoje pode-se associar a retirada de gordura à reaplicação no paciente para obtenção de correções
Hoje pode-se associar a retirada de gordura à reaplicação no paciente para obtenção de correções Foto: Susi Padilha

A lipoaspiração é a forma mais rápida de eliminar gordura da coxa e do quadril, e tem sido realizada há mais de 30 anos. Apesar da popularização do procedimento, não era comprovado que ele funcionava a longo prazo. Para sanar esta dúvida, pesquisadores conduziram o primeiro estudo e chegaram a uma conclusão inesperada: a gordura removida retornaria toda, mas em partes diferentes do corpo.

A observação realizada por pesquisadores da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, mostra que, um ano após o procedimento, a gordura removida retornou e foi distribuída pelos membros superiores ? em volta dos ombros, braços e parte superior do abdômen.

A lipo é um processo simples, porém bastante agressivo, que consiste na introdução de um tubo sob a pele que contém um aparelho de fazer vácuo que suga a gordura. Coxas e abdômen ? as áreas onde mais se realiza o procedimento ? encolhem, apresentando um resultado  que levaria meses de dieta para ser alcançado. O melhor de tudo é que o tratamento é direcionado e o paciente só perde gordura onde deseja.

Rudolph Leibel, pesquisador de obesidade na Universidade de Columbia, disse ao New York Times que o corpo controla o número de células de gordura tão cuidadosamente quando controla a quantidade de gordura. Quando uma célula de gordura morre, o corpo produz uma nova para substituí-la. A lipoaspiração, no entanto, destrói a estrutura em rede sob a pele, o que pode ser o motivo para as células não retornarem no lugar de onde foram removidas. Por outro lado, o corpo compensa sua perda produzindo novas células de gordura em outras áreas.

O estudo foi realizado com 32 mulheres com trinta e poucos anos de idade e peso médio. Apenas metade delas teve uma quantidade modesta de gordura removida de quadris e coxas por lipoaspiração, enquanto a outra parte fez dieta. Elas receberam a promessa de que poderiam realizar o procedimento a um custo reduzido, se ainda desejassem no fim do tempo de observação.

As medidas das mulheres foram registradas após seis semanas, seis meses e um ano do estudo, o que revelou como o corpo “defende” a gordura. Após seis semanas, as pacientes operadas perderam 2,1% de gordura, contra 0,28% das mulheres no grupo da dieta, mas essa diferença desapareceu após um ano. Embora as coxas das que passaram por cirurgia tenham permanecido mais finas, após um ano, a gordura havia se acumulado na região do estômago.

Apesar dos resultados questionáveis, as mulheres que participaram do estudo estavam felizes com o tratamento, afirmaram os pesquisadores. Elas odiavam seus quadris e coxas e viram o resultado nesta região. As pacientes do grupo de controle também não se sentiram desencorajadas ? mais da metade ainda optou por uma lipoaspiração.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna