Grávida aos 54 anos, Solange Couto reacende discussão sobre maternidade tardia

Fenômeno é recorrente me todo o mundo e medicina está avançando neste campo

Especialista explica os segredos para que a gravidez de mulheres acima do 40 seja tranquila
Especialista explica os segredos para que a gravidez de mulheres acima do 40 seja tranquila Foto: Marcelo Oliveira

A gravidez da atriz Solange Couto vem sendo muito comentada nos últimos dias por trazer à tona novamente a discussão da maternidade tardia. O que chama a atenção nesse caso específico é justamente a idade da atriz que, aos 54 anos, anunciou ter descoberto inesperadamente estar grávida. Segundo o especialista em reprodução humana Nilo Frantz, gestações após os 45 anos de idade costumam ser infrequentes, mas, esporadicamente, podem ocorrer, seja naturalmente, ou por fertilização.

? Engravidar mais tarde não implica necessariamente em ter um problema. Felizmente, em muitos casos verifica-se o desenvolvimento de uma gestação normal sem qualquer tipo de alteração, o que permite a continuidade da rotina diária. Mas, assim como a gravidez após os 40 não é sinônimo de doença, uma boa saúde não descarta a possibilidade de ocorrerem problemas específicos da gestação ? destaca.

O médico explica que gestações naturais após os 50 anos, como ocorreu com a atriz, são raríssimas. Isto por que após os 35 anos costuma haver uma gradativa diminuição da fertilidade feminina.

? Após os 40 a perda da qualidade dos óvulos se acentua bastante ? diz

A preocupação da medicina com a saúde das mulheres que decidem enfrentar este desafio vem melhorando a qualidade de vida dessas pacientes. Para que Solange tenha uma gravidez tranquila e que a saúde do bebê seja garantida, ela terá que passar por um pré-natal específico que respeite as particularidades do seu caso.

? Apesar de cada vez mais frequente, a gravidez tardia requer uma assistência pré-natal específica devido à elevação dos riscos de complicações para a mãe e para o bebê. Por isto, requer um acompanhamento cuidadoso. Cabe ao médico obstetra orientar e avaliar adequadamente cada gestante visando a detecção das complicações e a instituição precoce de um tratamento, quando necessário ? explica.

Fenômeno Mundial

É cada vez mais comum mulheres engravidar os 40 anos de idade. Trata-se de um fenômeno mundial. Em países mais desenvolvidos como os Estados Unidos e grande parte da Europa estima-se que uma em cada cinco mulheres tenha a sua primeira gestação em uma idade avançada. Segundo dados do Instituto Brasileiro de

Geografia e Estatística (IBGE) o número de mulheres que engravidaram pela primeira vez após os 40 cresceu 27% em dez anos no País. A tendência é mais acentuada nas regiões Sul e Sudeste e no Distrito Federal.

? Hoje, boa parte das mulheres com mais de 35 anos pratica esportes, não fuma, tem uma alimentação correta e apresenta um peso adequado. Enfim, desfruta de ótima saúde e forma física ? revela Franz destacando que, mesmo não padecendo de nenhuma enfermidade, a mulher deve estar ciente de que está mais sujeita a desenvolver diabetes e hipertensão, além de apresentar uma maior probabilidade de anomalias cromossômicas e abortamento.

Tratamentos são opção para maternidade tardia

Muitas das gestações ocorridas na faixa dos 40 aos 50 anos e, principalmente, após os 50 são fruto de um tratamento médico, às vezes não divulgado. Uma das técnicas que os casais recorrem para ter o seu tão desejado bebê é a “doação de óvulos”.

Com a utilização de óvulos de doadoras jovens e anônimas este procedimento, também conhecido como “ovodoação”, permite que mulheres até mesmo após a menopausa engravidem.

? Esta é uma alternativa que a medicina reprodutiva coloca à disposição das mulheres que tanto desejam ter o seu bebê, mas não contam com óvulos em quantidade ou qualidade suficiente para isto ? aponta.

Leia mais
Comente

Hot no Donna