Grávidas devem ficar atentas a possíveis problemas da tireoide

Problema tem tratamento se diagnosticado precocemente

Compressas de gelo podem diminuir tamanho da lesão
Compressas de gelo podem diminuir tamanho da lesão Foto: Carlinhos Rodrigues

Durante a gravidez, os cuidados com a saúde devem ser redobrados para garantir uma gestação tranquila para a mãe e evitar que o bebê tenha problemas após o nascimento. Segundo Gisah Carvalho, presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia – Paraná (SBEM -PR), elas devem estar atentas a possíveis problemas com a tireoide, que pode ter sérias consequências em sua saúde.

Conforme a especialista, mesmo uma gravidez normal, resulta em uma série de importantes mudanças fisiológicas e hormonais podem alterar a função tireoidiana.

? O hipotireoidismo na gestação, quando a tireoide produz hormônios em quantidade insuficiente, pode causar sérias consequências para a mãe e para o bebê, tais como anemia materna, dor muscular, fraqueza, insuficiência cardíaca, doença hipertensiva na gestação, anomalias placentárias, aborto espontâneo ? revela.

Nos recém-nascidos, outras complicações como baixo peso, parto prematuro, complicações fetais e descolamento de placenta podem ocorrer.

? Porém, quando detectada precocemente, a doença pode ser totalmente controlada e as chances de ter uma gestação saudável são iguais as de uma mulher sem o problema ? destaca.

A médica explica que esse controle pode ser feito através dos exames de pré-natal, que são muito importantes para detectar também problemas como hipertensão, anemia, infecção urinária e doenças transmissíveis pelo sangue de mãe para filho. Todas as gestantes têm direito a este acompanhamento, que pode ser feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

? Dentre os exames realizados no pré-natal, está o hemograma completo, que também mede a dosagem do TSH, hormônio estimulador da função da tireoide, uma glândula que fica localizada no pescoço e produz dois hormônios que controlam o funcionamento de diversos órgãos ? explica ressaltando que esses hormônios interferem diretamente em processos como crescimento, ciclo menstrual, fertilidade, sono, raciocínio, memória, temperatura corporal, batimentos cardíacos, funcionamento intestinal, força muscular e controle de peso corporal.

Gisah afirma que, durante a gestação, a tireoide do feto é imatura e o sistema nervoso central e outros órgãos dependem do hormônio tireoidiano materno para seu desenvolvimento adequado.

? Quando o bebê não recebe a quantidade correta de hormônios tireoidianos, pode acontecer o hipotireoidismo congênito, doença que afeta o desenvolvimento do cérebro do bebê, sendo uma das causas mais frequentes de retardo mental ? alerta.

O problema é relativamente frequente. Entre um em cada 4 mil recém-nascidos vivos apresenta o problema, segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

? A principal forma de detectar o hipotireoidismo congênito é o Teste do Pézinho, que deve ser obrigatoriamente feito em hospitais e maternidades públicas e privadas ? diz.

O teste é simples, basta retirar uma gota de sangue do pé do bebê no terceiro dia de vida. O exame ajuda a verificar se a tireoide do bebê está funcionando bem, além de atestar a ocorrência de outras doenças.

? Por isso, recomendo às mulheres que querem engravidar a pedirem aos seus médicos que incluam a dosagem de TSH em seus exames de rotina. As disfunções da tireoide têm tratamento que podem assegurar uma vida saudável tanto para as mamães, quanto para os seus bebês.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna