Grupo ampara mulheres agredidas em Três de Maio

Além de oferecer às crianças, pais devem consumir alimentos saudáveis
Além de oferecer às crianças, pais devem consumir alimentos saudáveis Foto: Carlos Edler

De uma pesquisa que buscava entender o porquê de as mulheres não levarem adiante a queixa contra companheiros agressores, universitárias criaram um grupo de apoio às vítimas da violência doméstica, em Três de Maio, no noroeste do Estado. Na pesquisa feita no fórum da cidade, a aluna Iolete Weber se impressionou com o alto número de mulheres que denunciavam seus companheiros e depois desistiam de seguir adiante com o processo.

Dezessete casos – de 168 – foram estudados pelo grupo Flor-de-Liz, criado em junho como um trabalho de conclusão de curso de três alunas de Serviço Social, da Universidade Norte do Paraná (Unopar Virtual).

Motivo principal da desistência do processos, de acordo com Iolete, foi não querer ver o marido ou companheiro preso. No grupo de apoio, com reuniões semanais, as mulheres recebem atendimento psicológico, orientação quanto à Lei Maria da Penha, aulas de artesanato e outras atividades que buscam resgatar a autoestima delas.

As oficinas de artesanato prepararam a integrante para que tenha renda própria e se torne independente do companheiro. Futuramente, a ideia é incluí-las em programas de profissionalização.

– A renúncia envolve a dependência financeira, a vergonha. Principalmente se elas têm filhos–comenta Iolete.

O estudo
– 17 mulheres com história de violência doméstica foram convidadas a participar do grupo Flor-de-Lis (10% de 168 casos pesquisados na comarca de Três de Maio entre 1ºx/07/08 a 30/06/09).
– Todas denunciaram a violência, mas depois retiraram a queixa
– 10 começaram a frequentar. Atualmente, sete continuaram
– A maioria dos casos de violência dos companheiros tinha relação com o alcoolismo
– 60% das pesquisadas se separou do marido/companheiro
– O estágio da faculdade das alunas já se encerrou, mas elas continuam voluntariamente assistindo as mulheres. Para o próximo semestre, a prefeitura deverá dar sequência ao trabalho.

Leia mais
Comente

Hot no Donna