Há dez anos, Jorge Bischoff decodifica a alma feminina desenhando sua grande paixão: sapatos

Empresário é dono de uma das mais prestigiadas grifes do país, com 54 lojas

Foto: Bruno Alencastro

Jorge Bischoff não decidiu desenhar sapatos. Não escolheu racionalmente a profissão, não refletiu antes de seguir este caminho. Não houve, para ele, uma escolha a ser feita. Sapatos eram o que ele mais gostava, o assunto sobre o qual mais sabia, a atividade que lhe dava mais prazer.

? Sempre soube que minha vida estava ligada a isso. Nunca me interessei por outra coisa ? afirma o empresário.

Hoje, o nome de Jorge é uma das mais prestigiadas grifes de sapatos do país. São 54 lojas espalhadas pelo território nacional em forma de franquias, além da presença em mais de 800 multimarcas. Tanto sucesso vem junto com o reconhecimento da marca não somente pelas consumidoras, mas por quem produz moda no país. Neste ano, por exemplo, Bischoff repete parceria já firmada em outras edições da São Paulo Fashion Week com o estilista Samuel Cirnansck. Considerando o universo de quem é louco por sapatos, Jorge é uma celebridade. Não é incomum vê-lo autografando os pares das consumidoras mais fiéis em eventos promovidos pela marca.

 
Foto: Bruno Alencastro 

O glamour, ele reconhece, é o que a maioria das mulheres busca em um par de sapatos. Mas não é, nem de longe, a mola propulsora da paixão pela atividade. Sua trajetória é a prova disso. Filho de pais que trabalhavam na indústria calçadista, Jorge teve contato com o chão de fábrica desde muito pequeno. Não tem a conta de quantas vezes foi ao trabalho com o pai, em uma empresa de Igrejinha, cidade onde nasceu. Aos 13 anos começou a atuar no ramo. Passou por todas as funções da fábrica, desde auxiliar no trato com o couro e a madeira até o gerenciamento das áreas de projetos e vendas.

? Tenho muito vivos na memória os cheiros do couro e da madeira na produção. Conheço cada etapa do processo e sei fazer tudo ? conta.

Saber o que deve ser feito em todas as etapas da produção de um sapato, ele sabe. Mas o que mais gosta mesmo é de imaginar, criar e desenhar, dar vida, em forma de sapato, ao mundo feminino que interpreta. Para ele, calçados não são acessórios como outros utilizados pelas mulheres. Há neles um quê de magia, de mistério e de idealização.

? Quando uma mulher calça um sapato e olha-se no espelho, ela nunca olha somente para o pé. Ela se vê por inteiro. Por que o sapato é isso, é um elemento que vai transformar a mulher como um todo, vai deixá-la mais bonita, mais poderosa, vai torná-la aquilo que ela quer ser.

Por isso, ao fazer sapatos, Jorge não se limita a buscar referências internacionais e a conectar-se com o que é tendência em cada estação. Pelo contrário. Ao criar, ele está menos preocupado com o mundo e mais concentrado na identidade que faz questão de conferir ao seu produto. Cores, metais destacados e couros premium são já uma marca visual registrada. Mas o que verdadeiramente caracteriza os sapatos de Bischoff é o acabamento milimetricamente perfeito, em que nenhum detalhe é esquecido. O salto e a palmilha ganham o mesmo esmero na produção. O produto final, para ele, tem que ser rigorosamente impecável.

? Sou um sapateiro, por isso tomo tanto cuidado com os detalhes. E são eles que, ao final, interessam à mulher. Rigor, beleza e conforto são os elementos que diferenciam um sapato comum de um pelo qual as clientes se apaixonam. E um sapateiro como eu, que conhece todas as etapas desse processo, sabe como fazer isso – explica.

Casado e pai de uma filha, Jorge ainda vive em Igrejinha, onde está sediado o seu atelier de criação e a fábrica que confecciona seus calçados. Hoje, com a expansão da marca, já não consegue ficar todo o tempo desenhando e acompanhando a produção. Uma equipe de designers, a quem Bischoff treinou e ensinou as características do seu traço, participa da criação das coleções. Mas a palavra final ainda é do sapateiro de cujo olho nada escapa.

Para celebrar os 10 anos da marca, Jorge idealizou uma coleção inteira e voltou-se para si mesmo para divulgá-la. Para fazer as fotos da campanha, as modelos, maquiadores, iluminadores e todo o time de produção dividiram espaço com os trabalhadores da fábrica. Tudo para mostrar ao público a origem do sapato.

? Esse é o universo em que nós, sapateiros, tornamos reais os sonhos das mulheres.

 

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna