“História de amor de Edward e Bella é muito forte”, diz Taylor Lautner

O lobisomem da saga crepúsculo, Taylor Lautner, veio ao Brasil para o lançamento do último episódio da série

Foto: Andrew Cooper,SMPSP

Taylor Lautner exibe seu melhor sorriso quando a reportagem lhe pergunta como resiste ao assédio das fãs.

– Não me queixo – , diz, mas implícita está outra mensagem – resistir, por quê?

Lautner, o lobinho de Crepúsculo, veio ao Brasil para lançar o desfecho da série adaptada dos livros de Stephenie Meyer. A Saga Crepúsculo: Amanhecer – O Final estreia nesta quinta-feira em todo o mundo. A distribuidora Paris aproveita e propõe, em salas selecionadas, uma maratona. Você poderá (re)ver toda a saga de Edward e Bella e a transformação da garota em vampira.

Havia adolescentes que passaram a noite diante do Hotel Fasano, no Rio, na expectativa de ver Taylor Lautner, há três semanas. Ele teve um encontro com fãs. Só faltaram desmaiar. Deu uma entrevista movimentada. A imprensa teen compareceu em peso. Não lhe pergunte o que anda lendo.

– Livro? Não tenho tempo. É muito roteiro para ler.

Steven Spielberg é seu diretor preferido, Tom Cruise, o astro em que se espelha. – A carreira dele não se fixa num gênero ou papel. Tom é a prova de que se pode variar.

Mas ele vacila diante da pergunta simples: qual o melhor Spielberg? Chuta O Cavalo da Guerra, – mas não, espere aí. Minority Report: A Nova Lei. – Ele se lembra finalmente de um dos filmes que Spielberg e Cruise fizeram juntos.

Qual o último filme que viu? – Ted, no avião.- E…? – Achei muito engraçado.

 A reportagem observa que um parlamentar andou tentando proibir o filme no Brasil, por considerá-lo prejudicial à juventude.

– Entendo a preocupação, mas não creio que o filme tenha força de desencaminhar quem quer que seja.

Taylor arrisca sua interpretação para o sucesso da saga:

– O público jovem curte fantástico, mas creio que o filme teria ido bem sem esse ingrediente. A história de amor de Edward e Bella é muito forte.

A crise na relação da dupla Robert Pattinson/Kristen Stewart é tabu, mas ele admite que vai sentir falta – de tudo.

– Foram quatro anos muito intensos, desde que tudo começou.

Se não fosse o lobinho, que outro personagem gostaria de ser?

– Fiquei todo o tempo focado no meu papel. Seria interessante ver essa história de outro ângulo. Não me atrairia o de Edward. Preferiria o de Bella, mas não dá, não é? E o jovem lobo volta a sorrir.

Leia mais
Comente

Hot no Donna