Homens devem fazer autoexame para detectar tumores

Cuidado é fundamental para a detecção de nódulos e tumores nos testículos em estágio inicial

Sósias de William e Kate Middleton divertem público em Londres durante lançamento de livro
Sósias de William e Kate Middleton divertem público em Londres durante lançamento de livro Foto: Jonathan Short, AP

Os homens deixam muito a desejar quando o assunto é atenção à saúde. O que poucos sabem é que, assim como o autoexame da mama, existe o autoexame de testículos, fundamental para a detecção de nódulos e tumores em estágio inicial.

Os médicos recomendam que, todos os meses, após um banho quente ?, que relaxa a bolsa escrotal e facilita a observação de anomalias ?, o homem, de pé em frente ao espelho, verifique se houve aumento, redução ou enrijecimento dos testículos, além de checar se há sensação de peso, dor ou desconforto na bolsa escrotal.

? Além do autoexame, aconselho os homens a se consultarem periodicamente com um médico ? afirma o urologista Rogério Vitiver.

Segundo ele, assim será possível detectar anormalidades e encaminhar o paciente a um oncologista, se necessário.

? É importante saber que o câncer de testículo é agressivo, mas tem elevados índices de cura quando diagnosticado precocemente ? afirma o oncologista Murilo Buso.

O tumor de testículo acomete 5% da população masculina e não é um mal típico da maturidade, atingindo os mais jovens, na faixa dos 15 aos 35 anos. Se os testículos não desceram para a bolsa escrotal na infância (criptorquidia) ou se houve ocorrência de hérnia inguinal, a probabilidade é aumentada entre 5% e 20%.

Tire dúvidas

Como é o tratamento para câncer de testículos?

Quando a doença é diagnosticada, o procedimento é a retirada do testículo. Na maioria dos casos, a cirurgia elimina o tumor. Porém, se o tumor estiver em estágio avançado ou com risco de se espalhar para outros órgãos, o tratamento posterior inclui quimioterapia e radioterapia.

O homem fica impotente? Infértil?

Esse é um dos mitos que prejudica o tratamento precoce. Como ocorre a retirada apenas do testículo afetado, com a preservação do outro, a terapia não afeta a função sexual ou reprodutiva do paciente. Depois da cirurgia, pode ocorrer temporariamente a baixa produção de espermatozoides e a impotência, mas por período curto. Depois, a função sexual volta à normalidade.

E quando há necessidade de quimioterapia?

O aconselhável é a coleta e congelamento de sêmen, pois a quimioterapia pode afetar a produção de esperma. Esse cuidado é adotado para o tratamento quimioterápico de qualquer tipo de câncer em homens, seja ele de testículo ou, por exemplo, de pulmão.

Fonte: Murilo Buso, oncologista e chefe do Serviço de Oncologia do Hospital Universitário de Brasília

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna