Impotência sexual pode ser indicadora de doenças graves

Conheças as principais causas da disfunção erétil e seus tratamentos

Diálogo e acompanhamento médico são maneiras eficazes de enfrentar o problema
Diálogo e acompanhamento médico são maneiras eficazes de enfrentar o problema Foto: Stock Photos, Divulgação

Falhar na cama não é uma situação fácil para a maioria dos homens, por isso, a maioria não busca auxílio médico quando se depara com o problema. Em alguns casos, a disfunção erétil pode representar apenas um fato isolado, mas é preciso estar atento. As falhas de ereção podem sinalizar a presença de doenças graves, principalmente cardiovasculares.

De acordo com o médico urologista Eurico Jacques Dornelles Neto, do Serviço de Urologia do Hospital São Lucas da PUCRS, existem duas grandes causas da impotência sexual masculina: as psicogênicas e as orgânicas. Nesta segunda, as falhas podem estar relacionadas a problemas vasculares, neurológicos ou endócrinos.

? Algumas pessoas pensam que a disfunção erétil é sempre um problema pontual, mas pode estar escondendo uma doença grave como a arteriosclerose ? alerta o urologista.

Segundo ele, a doença deixa as artérias de todo o corpo mais espessas ou endurecidas, afetando também o fluxo de sangue necessário para uma ereção. Além disso, a obesidade, a hipertensão, o sedentarismo e o tabagismo podem influir negativamente no desempenho sexual.

Nestes casos, o tratamento da disfunção é feito de forma multidisciplinar, para corrigir hábitos de vida e controlar as doenças que estão causando o problema.

Em contrapartida, uma disfunção erétil pode ser reflexo de um problema psicológico e, na maioria da vezes, casual. O estado emocional do homem no momento da transa é decisivo para a ocorrência da ereção. Diferente das causas orgânicas, que aparecem com mais frequência depois dos 40 anos, as psicogênicas atingem qualquer idade.

? Às vezes, o paciente é jovem e saudável e sofre um episódio de falha. Por medo e insegurança, isso pode desencadear outras falhas ? explica Neto.

Estresse, depressão e angústia também são inimigos do desempenho na cama. Além disso, quando há falta de sintonia com a parceira ou quando esta provoca algum tipo de pressão psicológica sobre o homem, podem ocorrer falhas de ereção.

Principais causas:

Psicogênicas:

Quando o motivo da falha é de cunho psicológico.

:: Agravantes: estresse, depressão, angústia, baixa autoestima, pressão da parceira.

:: Tratamento: trabalho multidiciplinar, com psicólogos e urologistas

:: Ocorrência: pode afetar qualquer faixa etária em um dia específico ou mais de uma vez

Dicas:

:: Busque ajuda profissionais em casos de depressão e baixa autoestima

:: Evite estresses no trabalho e em casa

:: Converse com a parceira

Orgânicas:

Quando o motivo da falha é um problema físico, que pode ser vascular, neurológico ou endócrino.

:: Agravantes: obesidade, hipertensão, sedentarismo e tabagismo.

:: Tratamento: trabalho multidisciplinar (urologistas, cardiologistas, endocrinologistas).

:: Ocorrência: principalmente após os 40 anos.

Dicas:

:: Mantenha hábitos de vida saudáveis

:: Evite o cigarro

:: Mantenha uma alimentação saudável

:: Controle seu peso

:: Pratique exercícios

E o Viagra?

Segundo o urologista, os medicamentos para disfunção erétil estão mais baratos depois da queda da patente do Viagra, mas ainda precisam de orientação médica. Existe contra-indicação para o uso.

Esses medicamentos são facilitadores da ereção, portanto, não tratam o problema, apenas auxiliam na hora da transa. Neto afirma que o medicamento foi um dos mais estudados desde que foi criado, portanto é seguro e pode ser usado com frequência, sempre com recomendação médica.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna