Indústria cosmética investe em tecnologias a favor do cabelo

Novas pesquisas indicam como amenizar o excesso de química e deixar os fios belos e sedosos

Ciência está de olho em consumidoras cada vez mais ávidas por novidades para os fios
Ciência está de olho em consumidoras cada vez mais ávidas por novidades para os fios Foto: Divulgação

Pílulas que prometem, em pouco tempo, fios mais saudáveis; tintura sem amônia; escovas progressivas que usam proteínas, aminoácidos, queratina, polímeros e tantos outros componentes difíceis de pronunciar Há muito, a dupla xampu e condicionador deixou de ser o único item de primeira necessidade nas madeixas da mulher moderna.

Diante do bombardeio de tanta química nos fios, a indústria cosmética tem se debruçado cada vez mais em pesquisas para criar produtos que, ao mesmo tempo que amenizem os efeitos colaterais de tantos elementos artificiais, deixem os fios sedosos e brilhantes. Um desafio que resulta em investimentos bilionários e na descoberta de tecnologias inovadoras, impossíveis de se conceber em um tempo nem tão remoto assim.

Afinal, quem poderia imaginar que a amônia seria abolida da coloração ou que fios naturalmente ondulados permaneceriam lisos durante meses sem o obrigatório uso de amônia? A Revista ouviu cabeleireiros, tricologistas, dermatologistas e empresas do ramo para descobrir o que há de mais novo no mercado quando o assunto é cabelo ? e, de preferência, lindo e saudável.
 
Tintura sem amônia 
  
A partir do próximo mês, chega aos principais salões de beleza do Brasil um produto que tem feito sucesso na Europa e nos Estados Unidos e promete revolucionar a indústria cosmética local: a tintura sem amônia. A novidade surge quase um século depois da criação da primeira coloração capilar permanente e, para muitos cabeleireiros, representa uma grande mudança na coloração capilar.

? Quando o tonalizante, que também não tem amônia em sua composição, foi lançado, já achei uma revolução, apesar de ele não cobrir os fios brancos por completo e sair rapidamente com as lavagens. Mas a tintura sem amônia é, simplesmente, espetacular ? derrete-se o colorista brasiliense Hugo Nakanishi.

Entre as principais vantagens do Inoa, como a L’Oréal batizou o novo produto, está o fato de ela não ter o cheiro forte das tinturas convencionais, de não provocar irritações no couro cabeludo e, principalmente, de agredir muito menos os fios. Na coloração comum, a amônia tem a função de quebrar a cutícula do cabelo para que a coloração penetre no córtex capilar e ali permaneça por um determinado período de tempo. No novo produto, um sistema único, rico em óleo ? o Oil Delivery System (ODS) ?, empurra o pigmento para dentro do fio sem causar essa ruptura da cutícula.

? É uma tintura bem menos agressiva. Na verdade, ela até ajuda a tratar o cabelo, pois, por ser um agente oleoso, protege o fio ? garante Hugo, um dos primeiros coloristas do Brasil a ser treinado com o Inoa e que já começou a experimentá-lo nas clientes que têm maior sensibilidade às tintas.

De acordo com o fabricante, a Inoa clareia os cabelos em até três tons e garante 100% da cobertura dos fios brancos. O tempo de aplicação é o mesmo da tintura convencional ? 35 minutos. O produto é para uso exclusivamente profissional e os coloristas precisam passar por um treinamento antes de começar a usá-lo nas clientes. Isso porque a aplicação é muito precisa. Diferentemente da tintura comum, em que são misturados dois componentes ? a pigmentação misturada à amônia e o oxidante ?, no Inoa são três elementos: o óleo gel (ODS), a pigmentação concentrada e o oxidante. Por isso, em um primeiro momento, poucos salões estarão aptos a trabalhar com a tintura sem amônia, que custa, em média, 20% a mais.

Um pouco de história
A arte de tingir a cabeleira começou há mais de 3 mil anos, com os egípcios, que usavam inúmeros corantes extraídos de animais e vegetais. Mas foi só no início do século passado que a tintura de cabelo surgiu de forma como conhecemos hoje. Em 1909, Eugène Schuller, recém-graduado da Faculdade de Engenharia Química da França, cria um produto inovador, batizado de Oréal, à base de elementos químicos, principalmente a parafenilenediamina. Até então, as tentativas de criar tinturas em larga escala eram à base de henna e sais minerais, que agrediam os fios. Schuller funda, então, a Société Française des Teintures Inoffensives pour Cheveux, que, em 1933, viria a se chamar L’Oréal.
 
Pílulas diárias de beleza
Já imaginou tomar diariamente uma pílula e ficar com o cabelo lindo, sedoso e brilhante? É isso que promete a Innéov que, recentemente, lançou um nutriconcentrado de beleza que, por conta dos nutrientes presentes em sua fórmula, garante combater a queda capilar, reforçar a microcirculação e limitar os efeitos dos radicais livres na raiz dos fios. A novidade vem em fórmula de cápsulas, que devem ser ingeridas diariamente. De acordo com a diretora de marketing da empresa, Roberta Rocha, os resultados tornam-se visíveis a partir do terceiro mês de uso.

? Os nutricosméticos traduzem uma tendência mundial em se cuidar da beleza de dentro para fora. Em vez de usar a conhecida via tópica, como os cremes e géis, são cápsulas para uso oral que trazem benefícios para o embelezamento ? explica a farmacêutica Leandra Sá de Lima.

Ela alerta, porém, que antes de sair por aí comprando as pílulas, é preciso consultar um profissional de saúde.

? É preciso saber a quantidade de componentes presentes na composição, já que uma dose elevada de nutrientes também pode intoxicar ? observa a nutricionista Denise Samari Silva Pelles.

Ela alerta que outra coisa a ser observada é se a flora intestinal está absorvendo direito o produto.

? Se não estiver, é preciso associar as pílulas a outros medicamentos que complementem a deficiência. O médico precisa analisar se a dosagem está exagerada, ver quais as necessidades em relação ao nutriente para chegar à ideal. É interessante que se faça um exame para descobrir isso.

O dermatologista Luiz Carlos Cuce, professor emérito da Universidade de São Paulo, não acredita, porém, nos efeitos desse tipo de pílula.

? O colágeno é digerido pelo intestino e não chega à pele ? justifica. ? Ainda não vi nenhum caso de um paciente que tenha feito uso das pílulas e tenha sido bem sucedido.
  
Os fios, assim como a pele, envelhecem
O tempo vai passando e ele já não é mais o mesmo. A cor mudou, a textura também. As escovadas, antes vigorosas, agora precisam ser feitas com mais cuidado, já que os fios estão quebradiços e frágeis. Até o jeito de ser está diferente: agora, o cabelo parece mais ondulado. As pontas estão ressecadas. Geralmente, associado ao aparecimento dos temidos cabelos brancos, o envelhecimento capilar não é só uma consequência do passar dos anos.

Ele vem para todos, e pode até chegar antes da hora. Tudo depende de como você trata suas madeixas e de como leva a vida. Além das mudanças na cor, na textura e na resistência, o tricologista Ademir Júnior frisa que há outros indicativos de que o cabelo está ficando velho: a perda do brilho, da maciez, da elasticidade e da hidratação dos fios. Como em todo o restante do organismo, a saúde dos fios está diretamente relacionada aos cuidados que se tem com o corpo no dia a dia.

? Calor em excesso (secador e chapinha), água muito quente no banho, químicas de transformação, piscina, mar, cigarro e poluição aceleram o envelhecimento capilar ? enumera o médico.

Mas como, exatamente, ocorre esse envelhecimento? Valcinir Bedin, presidente da Sociedade Brasileira para Estudos do Cabelo, explica que, como todas as células do corpo humano, as do cabelo também envelhecem. Após os 50 anos de idade, os fios tornam-se mais ralos e finos ? já que a densidade deles diminui com o tempo.

? Isso acontece porque existe a somatopausa, que é a parada de crescimento celular ? completa o também tricologista.

Ter predisposição genética também é um dos fatores que influenciam no tempo do processo. Por isso, Bedin destaca que é possível uma pessoa jovem ter fios envelhecidos.
E, para as adeptas de procedimentos como tinturas, permanentes e alisamentos, um alento: segundo Valcinir Bedin, não há nada que se possa fazer, do ponto de vista externo, que piore o processo de envelhecimento capilar. Para manter os fios com uma aparência jovem e saudável, a recomendação do médico é investir em uma boa alimentação, hidratação interna constante e cuidados externos, como o uso de filtro solar e hidratantes. Por falar em hidratação, não economize nos banhos de creme: eles são importantes aliados para manter os fios bonitos e sempre brilhantes.
 
Lisos, mas sem agressão
Chapinha, baby liss, escova de chocolate, de açúcar, marroquina, japonesa e mais uma infinidade de nomes e alternativas para um problema que parece perseguir todas as representantes do sexo feminino que já pisaram no planeta: a vontade de ter um cabelo diferente do que o que a natureza impôs. Antes de se entregar às novidades dos cabeleireiros, porém, é preciso se informar sobre a composição química dos produtos e da sua ação nos fios a longo prazo.

Se você tem cabelos crespos ou cacheados e sonha em exibir uma cabeleira lisa, a professora da faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP) Maria Valéria Velasco explica que o relaxamento e o alisamento são duas opções muito procuradas, mas que, no fundo, querem dizer a mesma coisa.

? Quando o objetivo é só diminuir o volume, as pessoas dizem que é relaxamento.

No alisamento, porém, o que muda é a quantidade de produto e o tempo de efeito no cabelo. Maria Valéria, que também dá palestras sobre alisantes e relaxantes capilares em cursos de especialização em tricologia, aconselha esperar no mínimo três meses entre uma aplicação e outra, para que os fios tenham tempo de crescer.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna