Ioga pode ajudar mulher na menopausa

Prática diminui calores e equilibra o humor

Estudo indica que ioga pode melhorar os sintomas da menopausa
Estudo indica que ioga pode melhorar os sintomas da menopausa Foto: Divulgação

Praticar ioga pode ajudar a aliviar sintomas típicos da menopausa, principalmente os calores, a ansiedade e a irritação causadas pelas flutuações hormonais. A prática de posturas, respirações específicas e meditação também pode ajudar a melhorar a memória e diminuir os sintomas de depressão destas mulheres, indica estudo feito na Índia com 120 mulheres com idades entre 40 e 55 anos.

Depois de oito semanas, os pesquisadores perceberam que as mulheres que faziam aulas de ioga cinco vezes na semana sentiam melhora nos calores noturnos, na qualidade do sono e no humor. Além disso, relataram uma melhora na memória, na concentração e na paciência.

– Todas relataram uma grande melhora tanto nas sensações físicas negativas como também nas emocionais – avalia o ginecologista Ritu Chattha, que coordenou a pesquisa.

Iogaterapia hormonal

A professora de ioga Dinah Rodrigues, uma das primeiras a dar aulas com foco em mulheres com na menopausa, acredita que certas posturas têm a capacidade de reativar e equilibrar a produção hormonal. Ela é precursora do método iogaterapia hormonal, dirigido a mulheres com disfunções hormonais.

– A iogaterapia consiste em uma série de exercícios que mexem com a produção hormonal e trazem vitalidade e saúde ao organismo como um todo. Eles devem ser feitos em uma ordem específica e podem ser adaptados ao caso da mulher. São séries dinâmicas, mas terapêuticas, que trazem resultados a partir do segundo dia de prática. Trabalha principalmente os ovários, a tireóide e a hipófise, e por isso é benéfica tanto para a mulher na menopausa como também para quem sofre com a tensão pré-menstrual, ovários policísticos ou fortes cólicas menstruais – explica a professora.

Todo tipo de ioga, seja ela hatha, iyengar ou astanga, traz benefícios à mulher, acredita a professora de ioga Shakti, do Espaço Nirvana. As posturas, diz a professora, mexem diretamente com os sistemas endócrino e circulatório. Já os exercícios respiratórios ajudam a equilibrar o sistema nervoso, diminuindo a ansiedade e aumentando a paciência.

– A ioga é uma prática sutil que mexe com todo o metabolismo. Além de aliviar dores e melhorar a qualidade do sono, traz o autoconhecimento, ou seja, a pessoa começa a ficar mais atenta ao próprio corpo e aprende a identificar o que é bom ou não para sua saúde – diz Shakti.

Para as mulheres, a prática tem o benefício adicional de ajudá-las a trabalhar a sensibilidade, que costuma estar aflorada em fases de grande oscilação hormonal. A ioga, segundo a professora, também é uma boa forma de aumentar a segurança e a auto-estima.

– Para fazer efeito, é preciso praticar ioga com consistência. Recomendo duas vezes na semana, no mínimo. É preciso dar um tempo para as posturas e os exercícios respiratórios funcionarem. Mas, depois de pouco tempo, já é possível perceber mudanças no humor, na flexibilidade e no alinhamento da coluna – completa.

Leia mais
Comente

Hot no Donna