Iraniana condenada a apedrejamento volta a aparecer na TV

Canal do Irã destaca a dimensão criminosa de Sakineh, mãe de 43 anos condenada a morrer apedrejada

Canal iraniano Press TV exibiu uma reportagem com Sakineh Mohammadi-Ashtiani
Canal iraniano Press TV exibiu uma reportagem com Sakineh Mohammadi-Ashtiani Foto: Press TV

O canal iraniano em inglês Press TV difundiu na noite desta sexta-feira um programa sobre o caso de Sakineh Mohammadi-Ashtiani, destacando a dimensão criminosa desta mãe de 43 anos condenada a morrer apedrejada em um caso que mistura o homicídio de seu marido e adultério.

No programa foram entrevistados a condenada, seu filho Sajjad e seu último advogado, Hutan Kian. Os três estão detidos atualmente.

No programa não é oferecido nenhum dado novo sobre o caso que provocou grande comoção e uma forte mobilização no Ocidente.

No entanto, no programa se critica a ativista iraniana Mina Ahadi, porta-voz do Comitê Internacional contra o Apedrejamento, sediado em Berlim, por ter instrumentalizado este assunto com a ajuda da imprensa ocidental com finalidade de prejudicar a República Islâmica.

Mohammadi-Ashtiani, que está presa em Tabriz, no noroeste do Irã, foi condenada à morte por dois tribunais diferentes em 2006 pelo envolvimento no assassinato do seu marido. Sua condenação por assassinato foi reduzida em 2007 a 10 anos de prisão, mas sua sentença a morrer apedrejada por adultério foi confirmada no mesmo ano por outra corte de apelação.

A revelação do caso em julho passado por associações pró-direitos humanos provocou forte mobilização no Ocidente, onde muitos países e personalidades pediram que não se aplique a sentença, que qualificaram de “selvagem”.

O programa difundido pela Press TV inclui uma “reconstitução” do homicídio realizada expressamente para este canal por Mohammadi-Ashtiani, tirada da prisão para a ocasião com permissão das autoridades iranianas.

Esta é a terceira ocasião desde julho que Sakineh aparece na televisão iraniana. Ao contrário das duas anteriores, nas quais apareceu usando um chador, falando em azeri (língua turca no noroeste do Irã), nesta ocasião usava um simples lenço e falando um persa correto.

Leia mais
Comente

Hot no Donna