Ísis Valverde afirma que não vai posar nua nos próximos cinco anos

Atriz diz ainda que ser rainha de bateria não é pra ela

Foto: Divulgação

Ísis Valverde está tão à vontade como a mineirinha Marcela, de Ti-ti-ti, que chega a confundir os fãs sobre a sua cidade natal. Afinal, o sotaque é da personagem, que é de Belo Horizonte, ou da atriz?

– É um pouco do meu. Como morei lá por três anos, consigo reproduzir bem. Acho divertido fazer esse gingado – afirma Ísis, 23 anos, que é natural de Aiuruoca, no Interior de Minas.

Pergunta – Antes de ser atriz, você pensou em seguir outra carreira?

Ísis Valverde – Pensei em ser veterinária, mas percebi que não conseguia aplicar sequer uma vacina!

Pergunta – Já recebeu cantada de uma mulher? Como reagiu?

Ísis – Não. Minha reação seria normal. É a opção da pessoa, e nós devemos respeitar.

Pergunta – Você sente falta da sua terra natal por estar há tanto tempo no Rio?

Ísis – Sinto muita falta da minha casinha, da minha cama, da minha mãe, do pai, do vô, dos amigos, primos… Quando sobrar um tempinho, estarei lá.

Pergunta – O que acha da ideia de desfilar como rainha de bateria de uma escola de samba do Rio?

Ísis – Acho o Carnaval mágico, é uma tradição do nosso povo, amo muito tudo isto! Mas rainha de bateria não é para mim. Acho lindo, mas não ia conseguir sambar naquele sambódromo num salto 18 (risos).

Pergunta – A sua personagem envolve-se com dois homens. Isto gera discussões entre você e seu noivo (o executivo Luiz Felipe Reif)?

Ísis – Não. Percebo que isto já está bem claro na cabeça dele. É o meu trabalho, ele respeita.

Pergunta – Depois de virar famosa, o que mais mudou na sua vida?

Ísis – Não posso ir às feirinhas que eu gostava tanto. Às vezes, é difícil. Mas fico feliz com o carinho das pessoas. Sinal de que o meu trabalho funciona.

Pergunta – Aceitaria posar nua?

Ísis – Não posso dizer nunca, mas, nos próximos cinco anos, tenho certeza de que não. Não curto muito esse tipo de exibição, mas respeito quem faz.

Leia mais
Comente

Hot no Donna