John Galliano pede perdão por sua conduta e nega antissemitismo

Estilista britânico emitiu comunicado oficial um dia após ser demitido da Dior

Desde 1999, Galliano dirige todas as linhas femininas da Dior
Desde 1999, Galliano dirige todas as linhas femininas da Dior Foto: AFP

O estilista britânico John Galliano negou nesta quarta-feira as acusações de antissemitismo e racismo, mas pediu perdão por sua conduta, em um comunicado publicado por seus advogados em Londres.

“Nego totalmente as acusações contra mim e cooperarei plenamente com a investigação da polícia”, declarou o estilista, acrescentando: “Antissemitismo e racismo não têm lugar em nossa sociedade. Eu peço desculpas pelo meu comportamento se causei alguma ofensa”, escreveu o estilista, em uma comunicado divulgado por uma empresa de advocacia britânica um dia após ser demitido da Dior.

Entenda o caso
:: Na última quinta-feira (24 de fevereiro), Galliano foi detido em um bar em Paris
:: Na segunda-feira (28 de fevereiro), o jornal inglês “The Sun” publicou um vídeo amador em que Galliano dizia amar Hitler
:: Ontem, terça-feira (1º de março), o estilista foi demitido da maison Dior

Assista ao vídeo no qual o estilista declara amor a Hitler:

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna