Joinvilense Eduardo Kamke é o Mister Gay Brasil 2011 e disputa a etapa mundial no dia 13 de março

Final do concurso será disputado nas Filipinas

Kamke tem 29 anos e irá disputar o título internacional
Kamke tem 29 anos e irá disputar o título internacional Foto: Divulgação

A boa forma e a aparência nunca serviram de ganha pão para o joinvilense Eduardo Kamke, 29 anos, mas vão levá-lo para as Filipinas. Desde que topou o desafio de se inscrever no concurso Mister Gay Florianópolis, Eduardo passou a ter uma carreira paralela a de analista de recursos humanos. Agora, é provável que ele seja mais conhecido como Mister Gay Brasil 2011, título que recebeu no fim de semana passado.

Embora nunca almejada, a consagração de símbolo gay é merecida. Eduardo, que mora na Capital há menos de um ano e nunca tinha trabalhado como modelo nem topado outros concursos antes, diz não ter mudado nada da própria personalidade para se tornar o candidato perfeito diante dos olhos dos jurados.

Ele venceu sem esforço as três etapas que disputou a bordo do cruzeiro Freedom on Board, onde ocorreu o concurso.

– Foram avaliadas a forma de falar, de se comportar em festas, a conduta e a simpatia – conta o catarinense, que agora se prepara para a etapa mundial, nas Filipinas, no dia 13 de março.

O Mister Gay Brasil não terá tempo de se desepedir da família, que mora em Joinville, nem do namorado, de Palhoça. Eduardo viaja no dia 7 de março.

Até lá, terá de providenciar o passaporte, os trajes que usará nos desfiles e as lembrancinhas que levará para os jurados como forma de compartilhar a cultura de Santa Catarina e do País.

– Ainda não defini como será o traje típico. Pensei em algo que remetesse à origem germânica – diz.

Ainda faltam os últimos detalhes visuais, mas o discurso está na ponta da língua. Como todo concurso de miss e mister, a opinião e o conhecimento dos candidatos são fundamentais. O joinvilense não só sabe disso como os expõem sem esforço.

– Meu objetivo não é aparecer na mídia, é enfatizar que o homossexual pode fazer qualquer coisa e ter qualquer profissão. Como trabalho com recursos humanos, conheço de perto o preconceito que ronda as indústrias e quero divulgar políticas empresariais para isso – justifica.

É a primeira vez, que o Sul do País emplacou um candidato que saiu vitorioso no Mr. Gay Brasil. Nas Filipinas Eduardo concorrerá com os eleitos de outros 27 países. A escolha também poderá ser feita pelo público, via internet por meio do site www.mrgayworld.net

Leia mais
Comente

Hot no Donna