Justiça francesa marca julgamento de John Galliano

Estilista que ficou famoso frente a Dior foi acusado de proferir injúrias antissemitas

Declarações de John Galliano custaram seu cargo na maison
Declarações de John Galliano custaram seu cargo na maison Foto: Francois Guillot

O Tribunal Correcional de Paris marcou para o dia 22 de junho o julgamento do estilista John Galliano, que ficou famoso frente a casa Christian Dior, acusado por proferir injúrias antissemitas, anunciou a justiça francesa nesta quinta-feira.  

? Galliano será ouvido pessoalmente no dia do julgamento ? afirmou seu advogado Aurelien Hamelle a um dos juízes do tribunal.

Os magistrados examinarão duas demandas contra o renomado estilista britânico. A primeira se refere a uma discussão em que Galliano se envolveu no fim de fevereiro no bar La Perle, no Marais, um elegante bairro de Paris. Detido pela polícia por estar bêbado, o estilista foi acusado de proferir comentários racistas e antissemitas.

Galliano, de 50 anos, negou as acusações e entrou com um processo por difamação, mas pediu desculpas ao casal. O segundo processo diz respeito a outra pessoa a qual Galliano teria insultado em outubro de 2010.

O estilista, que até março deste ano foi diretor artístico da Dior, teria zombado do corpo de uma mulher de 48 anos antes de bravar insultos racistas em inglês. 

Após o escândalo causado pelo caso ocorrido no final de fevereiro, a casa Dior despediu Galliano às vésperas do início da temporada dos desfiles de moda em Paris. Caso seja condenado, o estilista pode pegar seis meses de prisão e pagar US$ 31,9 mil de multa. 

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna