Leilão milionário vende joias de modelo brasileira

Algumas das peças leiloadas
Algumas das peças leiloadas Foto: Divulgação Sothebys

Os diamantes, brancos ou amarelos, solitários ou presos a fabulosas joias, foram os protagonistas de um leilão no qual os colecionadores anônimos gastaram até US$ 4,11 milhões para comprar uma peça em formato de um ovo de mais de 30 quilates.

As vendas desses objetos de luxo, realizadas na quarta-feira pela casa de leilões Sotheby’s, superaram os US$ 30 milhões, incluindo os quase US$ 6 milhões conseguidos nas peças da coleção da modelo brasileira falecida recentemente Lúcia Moreira Salles.

Uma peça em formato de ovo, pertencente a um colecionador anônimo, adquirida por outro que quis igualmente manter-se no anonimato, após sucessivos lances, foi vendida por US$ 4,11 milhões, embora inicialmente tenha sido avaliada entre US$ 3,3 milhões e US$ 3,8 milhões.

Os investidores e colecionadores, por telefone, através de intermediários, na sala ou pela internet, não titubearam em comprar exóticas e belas peças, de preços milionários, em tempos de crise.

Isso ocorreu com um broche Cartier, de estilo egípcio, de 1926 e com desenho de escaravelho, realizado com uma peça central de cobalto, cerâmica de cor turquesa e safiras, pelo qual foi pago US$ 302,5 mil.

A pulseira de lápis-lazúli, turquesas, diamantes e ágatas pretas, igualmente de Cartier, foram avaliadas em US$ 242,5 mil cada, e ambas as peças pertenceram à princesa Natalia Pavlovna Paley, prima do último imperador russo, Nicolau II, e depois à mulher do cantor americano Cole Porter.

Também foram leiloadas as joias que pertenceram à modelo brasileira Lúcia Moreira Salles, classificadas de tão “refinadas, elegantes e glamorosas” como a personalidade dela, um ícone da moda na década de 70 e musa de casas de costura como Valentino e Chanel.

Por algumas de suas joias, desenhadas por prestigiosos como Java Archive (JAR), Cartier, Van Cleef & Arpels, foram gastos até US$ 722,5 mil, como no caso de um solitário de 16 quilates, US$ 524 mil por outro de esmeralda e diamantes e US$ 420,5 mil por outro similar com um rubi e diamantes, todos de JAR.

Lucia, que nasceu no Rio Grande do Sul e morreu em 24 de janeiro deste ano, contava com inúmeras peças desenhadas por essa exclusiva assinatura, cuja loja em Paris só abre as portas a um reduzido número de celebridades, como a atriz Elizabeth Taylor e a modelo Elle Macpherson.

Outra joia que pertenceu a brasileira foi um anel com uma safira e diamantes, por US$ 422,5 mil, e um colar de diamantes do século 19 por US$ 458,5 mil. Por US$ 422,5 mil, foram vendidos brincos de diamantes da musa de Chanel, e por US$ 98,5 mil as pulseiras de ágatas pretas, com esmeraldas, safiras, diamantes e pérolas, desenhada por Verdura. Por US$ 83,5 mil, quatro vezes a estimativa inicial, foram vendidas duas pulseiras, desenhadas por Van Cleef & Arpels, e por US$ 45 mil um par de braceletes de ouro e rubis, avaliados entre US$ 8 mil e US$ 12 mil.

Além disso, seus colares de pérolas naturais foram vendidos entre US$ 28,75 mil e US$ 602,4 mil, um combinado com diamantes, e outra de esmeraldas por US$ 242,5 mil.

As bolsas de Lucia também foram negociadas, especialmente as de pele de jacaré, assinadas por Cartier e com fechamentos de ouro e platina, pois foi leiloada por US$ 61,25 mil e outra, com os broches em ouro, por US$ 47,5 mil.

– (A modelo) não colecionava para impressionar. São peças que ela gostava de levar e que faziam parte de seu estilo – disse Lisa Hubbard, especialista de Sotheby’s.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna