Livro apresenta 400 fotos inéditas de Frida Kahlo

Obra foi elaborada a partir de milhares de imagens da pintora

Obra com fotos de Frida será traduzida para francês, inglês, alemão e português
Obra com fotos de Frida será traduzida para francês, inglês, alemão e português Foto: Banco de Dados

Um livro com mais de 400 fotografias da pintora mexicana Frida Kahlo, seus amigos e diversos momentos de sua vida, em grande parte imagens “inéditas”, foi apresentado hoje na capital mexicana.

A editora RM e o Museu Frida Kahlo, situado na Casa Azul do bairro de Coyoacán, onde a artista viveu, co-editaram a obra “Frida Kahlo: suas fotos”, de 552 páginas, que além das 401 imagens contém vários ensaios de especialistas na pintora.

A obra, coordenada pelo fotógrafo Pablo Ortiz Mosteiro, tem uma tiragem inicial de quatro mil exemplares e será traduzida para o francês, inglês, alemão e português, assinala a nota.

Ele foi elaborado com parte das 6,5 mil fotografias encontradas no dia 14 de junho de 2007, quando foram tornados públicos arquivos, que permaneceram fechados por mais de meio século em quartos do Museu Frida Kahlo-Casa Azul. Havia 22.105 documentos entre cartas, fotografias, desenhos, rascunhos e brinquedos.

O livro se divide em sete temas. As origens de Frida, seus pais, a Casa Azul, seu acidente, os amores da artista, a fotografia de autores famosos e a luta política da artista.

Entre os artistas destacados que aparecem há imagens dos mexicanos Lola e Manuel Álvarez Bravo, Man Ray, Martin Munkácsi e Tina Modotti; assim como imagens de personalidades que Frida conheceu, como Henry Ford, Rufino Tamayo, Marcel Duchamp e Paulette Goddard.

Também se encontram imagens das atrizes María Félix e Dolores del Río, do produtor de cinema Arcady Boytler, da também pintora Alice Rahon, do fotógrafo Edward Weston, do diretor de cinema e teatro Sergéi Eisenstein, do surrealista francês André Breton, e do político russo León Trotsky.

Por outro lado, foram escolhidos “os retratos familiares mais representativos do arquivo da artista”, um conjunto de auto-retratos de Guillermo Kahlo, pai da pintora, e imagens de Frida “que documentam a forma como a artista foi construindo sua forte personalidade”.

– Fotografada por seu pai desde muito pequena, Frida soube posar para as câmaras durante toda sua vida e, não poucas vezes, foi retratada pelas mãos de grandes artistas – acrescenta o boletim.

A obra “ressalta o interesse de Frida pela arte fotográfica e sua relação com fotógrafos famosos cujas imagens mostram a visão particular que estes artistas tinham do México e de seus protagonistas”, conclui a nota da editora e do museu.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna