Médico de Michael é alvo de investigação por possível homicídio

Na quarta-feira a polícia revistou o consultório de Conrad Murray

Conrad Murray, médico pessoal de Michael Jackson, foi identificado hoje como objeto da investigação policial
Conrad Murray, médico pessoal de Michael Jackson, foi identificado hoje como objeto da investigação policial Foto: Thomas Nguyen, EFE

Conrad Murray, médico pessoal de Michael Jackson, foi identificado hoje como objeto da investigação policial sobre um possível homicídio involuntário relacionado com a morte do cantor, informou o diário Los Angeles Times.

Segundo documentos oficiais apresentados em uma corte de Houston (Texas), membros do departamento antidrogas (DEA) e detetives da Polícia de Los Angeles revistaram na quarta-feira o consultório de Murray na busca de “artigos que constituam evidências de um possível homicídio involuntário e que mostrem que Conrad Murray cometeu o dito crime”.

Entre os objetos apreendidos se encontram dois discos rígidos de computador, cartas a um ex-empregado e documentos relacionados com suas práticas.

O Los Angeles Times também informou nesta quinta-feira que os executivos que administram os bens de Michael solicitaram a um juiz uma série de ajudas econômicas para os três filhos do cantor e sua mãe.

O pedido foi apresentado na quinta-feira de manhã através de Paul Gordon Hoffman, advogado de John Branca e John McClain, nomeados por Michael em sua última vontade como responsáveis por sua herança.

O juiz Mitchell Beckloff lhes concedeu o controle legal sobre o patrimônio deixado por Michael, avaliado em US$ 500 milhões. Hoffman anunciou que o pedido, no qual não se especificou quantias destinadas às crianças nem à mãe do artista, será considerado pelo juiz no próximo dia 3 de agosto.

Katherine Jackson, mãe do cantor, tem a custódia temporária dos três filhos do artista: Michael Joseph Jr., de 12 anos (Prince Michael), Paris Michael Katherine, de 11 anos, e Prince Michael II, de 7 anos. Tanto a mãe de Michael Jackson como os três filhos do cantor são os principais beneficiados do legado do artista. Por enquanto, porém, a retirada de fundos requer uma aprovação judicial, pelo menos até 3 de agosto, data em que acontecerá uma audiência cujo objetivo será resolver quem terá o controle permanente e de que maneira será exercida essa autoridade sobre os bens de Michael.

> Relembre a carreira do cantor em especial

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna