Mitos e verdades sobre a acne

Medicamento para casos graves pode ter fortes efeitos colaterais

Filhos de pais com acne correm mais risco de desenvolver o problema
Filhos de pais com acne correm mais risco de desenvolver o problema Foto: Carlinhos Rodrigues

Quem nunca teve espinhas não imagina o pesadelo que é acordar e notar uma nova saliência no rosto, especialmente no dia daquela festa esperada. Mas, hoje, já é possível controlar bem o aparecimento da acne, dizem os especialistas. O método mais eficaz é a isotretinoína, substância derivada da vitamina A que é administrada por via oral.

– Ela é usada há cerca de 20 anos, e pode-se dizer que é um marco no tratamento da acne, que se divide em antes e depois da isotretinoína – afirma a dermatologista Márcia Grieco.

Mas esse “milagre” não é para qualquer um. O remédio tem diversas contraindicações e só é indicado a pacientes com casos graves de acne e para aqueles que já tentaram diversas outras técnicas sem obter resultado. Como pode alterar o colesterol, os triglicérides e as enzimas do fígado, o paciente precisa fazer exames de sangue periódicos.

Devido aos perigos dos efeitos colaterais, que podem incluir ainda depressão e pensamentos suicidas, o paciente precisa assinar um termo de responsabilidade, a cada nova receita que obtém. Apesar de o medicamento ser caro – um mês de medicação normalmente custa mais de R$ 100 -, é possível obter o remédio pelo Sistema Único de Saúde.

É verdade?
:: A acne é comum em adolescentes
Verdade. Alguns hormônios que agem na modificação do corpo para a transformação da criança em adulto também alteram as glândulas sebáceas, deixando a pele oleosa.

:: Quem tem pais com acne corre mais risco de ter o problema
Sim. A causa da doença também está ligada à hereditariedade.

:: O tratamento é igual para todos
Não. O tratamento varia de acordo com o grau da acne. Casos mais graves necessitam de remédios orais.

:: A acne desaparece após a adolescência
A doença pode, sim, regredir depois da adolescência, mas deve ser controlada, já que pode causar problemas de autoestima.

Leia mais
Comente

Hot no Donna