Modelos gaúchas da década de 1990 mostram a boa forma em editorial

Veja por onde andam Fernanda Sirena, Madeleine Muller, Leila Loifermann e Simone Lopes

Da esquerda para a direita, Fernanda Sirena, Madeleine Muller, Simone Lopes e Leila Loifermann: passado de boas lembranças e presente de excelente forma e ótimas risadas
Da esquerda para a direita, Fernanda Sirena, Madeleine Muller, Simone Lopes e Leila Loifermann: passado de boas lembranças e presente de excelente forma e ótimas risadas Foto: Carlos Contreras

O que acontece quando quatro modelos que foram ícone nos anos 1990 se encontram quase 20 anos depois para um editorial de moda? Um dia inteiro de risadas, tricotadas e a impressão de que o tempo não passou.

Fernanda Sirena, Madeleine Muller, Leila Loifermann e Simone Lopes formaram o quarteto fantástico da moda gaúcha, onipresentes em desfiles e editoriais de moda. Até o dia em que a profissão foi dando sinais de finitude e, uma a uma, elas foram trilhando outros caminhos.

Fernanda negou todos os convites para deixar o Estado, tendo sempre como prioridade o desejo de aqui ficar e constituir uma família. Madeleine e Leila cursaram Direito, mas nunca conseguiram deixar de trabalhar com moda, seja dando consultoria, seja fazendo produções.

Simone também manteve-se por perto da carreira: é proprietária de uma bem-sucedida agência de modelos da Capital.Simpaticíssima às 8h da manhã de uma sexta-feira, Fernanda Sirena abriu as portas de sua casa, em Porto Alegre, para receber Donna e as três amigas de longa data.

:: Confira o making of do editorial

À mesa, ofereceu um delicioso café da manhã. O que se seguiu, então, foi uma revisita ao passado e uma reflexão sobre o presente, na vida e na profissão.

Fernanda Sirena – 45 anos
Fotos Carlos Contreras, especial e Banco de Dados
Fernanda usa vestido Coven para Tissat, bracelete Fátima Mello e brincos Gisele Rödel

Quando o designer espanhol Paco Rabanne esteve no Brasil, no início dos anos 1990, em busca de manequins brasileiras que soubessem representar com maestria o estilo da grife, logo encantou-se com Fernanda Campos Soares. Ela foi uma das escolhidas para o desfile de Rabanne em Porto Alegre – e, curiosidade: com as outras três amigas que também fazem parte desta reportagem.

O trabalho abriu muitas outras portas para Fernanda, entre elas editoriais de moda nas revistas mais representativas do setor, como a Vogue Brasil. Ela poderia ter batido asas e voado para bem longe daqui, mas resolveu ficar em Porto Alegre.

– Meu objetivo era trabalhar, curtir a profissão, mas nunca pensei em seguir carreira fora do Estado – lembra ela. – Em primeiro lugar, sempre existiu o desejo de casar, formar minha família e ficar na cidade.

Fernanda foi e continua sendo muito bem-sucedida nesse propósito. Casou-se com o empresário Dody Sirena, tornou-se Fernanda Sirena, e seu maior prazer hoje em dia é cuidar da casa e da família – o casal tem dois filhos, Matheus, 19 anos, e Mariana, 11.

Quando não está viajando na companhia do marido – Dody é um dos mais importantes homens do showbiz, é ele quem expande a carreira de Roberto Carlos no Brasil e mundo afora, além de outras atividades -, Fernanda segue uma rotina espartana de exercícios físicos e cuidados com a beleza. É adepta da drenagem linfática, da massagem modeladora e da ginástica “diária e religiosamente”. Conta com a facilidade de ter sua própria academia em casa e, ao espiar o passado, diz possuir um único arrependimento. – Teria tomado menos sol.

Madeleine Muller – 44 anos
Fotos Carlos Contreras, especial e Banco de Dados
Madeleine usa caftan, sua peça preferida. Este da foto é da designer gaúcha Greice Antes. Colar Fátima Mello

Formada em Direito e pós-graduada em Moda, Consumo e Comunicação, mãe de Alexia, de 15 anos, Madeleine Muller anda correndo muito ultimamente: atrás do segundo filho, André, que acaba de completar 1 ano e começa a dar os primeiros passos. Esse, porém, é seu único compromisso com a atividade física.

A disciplina que falta para ir à academia ou praticar qualquer outro esporte sobra quando o assunto recai sobre alimentação. Madeleine segue à risca a dieta prescrita por uma nutricionista.

– Nós somos o que comemos e tudo se reflete na pele, no cabelo, na qualidade de vida – entoa, como um mantra.

Se Madeleine fosse se definir em uma peça de roupa, ela seria o caftan. Tem vários no armário. – É o meu retrato, confortável e fácil de usar no dia a dia – enumera. Do tempo de modelo, guarda com carinho algumas lembranças, como os incontáveis desfiles que participou para estilistas gaúchos.

– Os melhores estilistas de alta-costura do Brasil estão aqui no Rio Grande do Sul – acredita.

A diferença do passado para o presente da profissão está em vestir a camiseta, segundo ela.

– Nós não trabalhávamos apenas pelo cachê, mas vestíamos a camisa do cliente, fazíamos tudo para vender o produto que estávamos representando. Dávamos opiniões, e elas tinham muito valor. Hoje, vejo modelos apenas interessadas em ganhar o cachê do trabalho e ir embora para casa. Nós éramos cabides com alma. Não estávamos só preocupadas com dinheiro.

Leila Loifermann – 44 anos
Fotos Carlos Contreras, especial e Banco de Dados
Leila usa vestido de ombró só e cinto Forum TufiDuek, brincos e anel Amsterdam Sauer

O ingresso de Leila Loifermann no mercado de modelos se deu por uma via paralela: concursos de beleza. Leila venceu vários deles, com destaque para o Miss Maja Internacional, no México, e o Miss Mundo, quando ficou entre as finalistas.

A partir daí, descobriu o universo das passarelas e das campanhas publicitárias. Teve sua imagem estampada para o mundo pela grife O Boticário. Quando o tempo passou e ela percebeu que a profissão não era perene, formou-se em Direito, mas não tardou em seguir o coração. Hoje, é consultora de estilo e moda e mãe de três filhas, a primogênita Luísa, 12 anos, e as gêmeas Alice e Ana Clara, seis anos.

Leila pratica a lei da compensação. Adora arroz, feijão e massa – e não se priva de tais prazeres à mesa.

– Só que, às vezes, é preciso dar uma maneirada – brinca. – Quando estou começando a engordar, corto o carboidrato. É a dieta para o resto da vida. Os cuidados com a beleza também são muitos e herança dos tempos de miss. É adepta da musculação e adora caminhadas ao ar livre, sempre com o extremo cuidado de não tomar sol no rosto.

Mais do que recordações profissionais, Leila lembra da época de modelo como um tempo de muita união e amizade, bem diferente do mercado competitivo e vaidoso de hoje.

– Éramos um grupo pequeno e não tínhamos grandes agências em Porto Alegre, o que nos tornava ainda mais amigas e unidas, além de muito profissionais. São lembranças, boas lembranças, que me acompanham a vida inteira.

Simone Lopes – 43 anos
Fotos Carlos Contreras, especial e Banco de Dados
Simone veste blusa de renda sobre camisa Le Lis Blanc, calça Marcelo Quadros para TwinSet, pulseira e anel de Gisele Rödel

Simone sempre foi vista como uma beleza exótica, o que lhe gerou muitos lucros na carreira, entre eles o desfile para Paco Rabanne, em Paris, em 1993, o comercial para a Renner, premiado em Cannes, e o convite para subir à passarela do estilista paraense Lino Villaventura em uma época em que desfiles de moda eram verdadeiros espetáculos, e não uma espécie de linha de montagem.

– Era uma época diferente, em que cada modelo tinha que emprestar sua personalidade à roupa – recorda Simone. – Cada uma de nós tinha uma postura diferenciada, e as pessoas iam aos desfiles não só para ver a roupa, mas para nos ver. Isso nos manteve mais tempo na profissão, diferente de hoje em que a maioria das modelos são rostos que passam.

Simone sempre foi um corpo em movimento. Dançou balé clássico dos 6 aos 18 anos, migrou para o jazz e a dança contemporânea dos 18 aos 22. A partir daí, tornou-se adepta da ginástica, musculação e esportes como vela, surf e jiu-jitsu. Nutricionista por formação, fala sobre boa alimentação com conhecimento de causa. E faz questão de compartilhar o aprendizado.

– Jamais devemos comer com gula. O ideal é comer sempre pouco, várias vezes ao dia. Nas refeições, quanto mais colorido for o prato, melhor – aconselha. Casada com o lighting designer Osvaldo Perrenoud e mãe de Felipe, de cinco anos, ela não abandonou completamente a profissão, que começou aos 18. É proprietária da agência SL Model Management e tem um conselho para quem quer iniciar a profissão no Estado.

– Em Porto Alegre, a modelo precisa atingir o público final e, quanto mais natural ela for, mais identificação consegue criar com o consumidor.

Créditos

Direção e conceito: Eduardo Santos (www.tessfashionbiz.com.br). Fotografia: Carlos Contreras (www.carloscontreras.com.br). Produção: Débora Tessler (www.tessfashionbiz.com.br). Styling: Isadora Bertolucci e Mariana Pesce – As Modistas (www.asmodistas.blogspot.com). Beleza: Kely Mozer – Hugo Beauty, tel. 9716-2306. Assistente de fotografia: Tales Martins. Making of: Jean Pierre – Studio Concept (www.stdconcept.com.br), tel. 3237-2746. Lojas e marcas que participaram do editorial: Le Lis Blanc, tel. 3367-5958, TwinSet, tel. 3264-4546, Tissat, tel. 3222-2264, Fatima Mello, tel. 3346-8076, Paquetá, tel. 3931-1216, Gisele Rödel (www.giselerodel.com.br), Schutz (www.schutz.com), Greice Antes, tel. 3029-1800, Forum TufiDuek, tel. 3381-9602

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna