Mulheres são capazes de recorrer ao bisturi para usar o sapato dos sonhos

Celebridades com pés que não são perfeitos também cogitam procedimentos cirúrgicos

Não esqueça dos cuidados com as unhas dos pés no inverno
Não esqueça dos cuidados com as unhas dos pés no inverno Foto: Adriana Franciosi

Você seria capaz de encurtar os dedos para desfilar em um cobiçado Manolo Blahnik? Pois saiba que muitas norte-americanas, incluindo as estrelas de cinema, aguardam uma vaga na agenda da Clínica Beverly Hills de cirurgia estética, na Califórnia.

O objetivo é um só: corrigir eventuais imperfeições nas “extremidades inferiores” do corpo.

Na lista de problemas mais comuns estão joanetes, dedos curtos ou longos demais e sudorese na sola dos pés. Aquelas que não abandonam o salto alto por nada no mundo podem optar pela injeção de gordura na sola dos pés ? eficiente para aumentar o amortecimento.

No consultório do ortopedista Rafael Ortiz, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, as queixas alternam-se em funcionais (ligadas à saúde) e estéticas. Esta última compõe um número expressivo de consultas.

?- As mulheres com queixas estéticas apresentam pouca dor ou desconforto, acentuado apenas quando utilizam calçados inapropriados. Essas pacientes, geralmente, apresentam algumas fantasias a respeito do tratamento cirúrgico ? observa.

Na maioria das vezes, as deformidades dos pés são resultado do uso indiscriminado de calçados de salto alto e bico fino. A predisposição genética também deve ser levada em conta. Segundo o ortopedista, também diretor da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Pé e Tornozelo, as brasileiras, ao contrário das norte-americanas, evitam o bisturi. Até mesmo porque, no consultório, o médico alerta sobre as consequências de uma cirurgia com fins estéticos.

? O principal risco é o de um pé deformado que não dói passar a doer após a cirurgia de correção das deformidades ? alerta Ortiz.

Quando o caso não requer operação, entram em cena as clínicas de podologia. Nelas, o tratamento de calos, unhas encravadas e outras queixas quanto à saúde e à aparência dos pés é realizado em cabines discretas e reservadas. São procedimentos não invasivos que permitem às mulheres uma vaidade sob medida.

Coordenador de uma rede de mais de 70 lojas no país, o podólogo Alessandro Guerra constata que expressiva parte da clientela é adepta de sapatos desconfortáveis.

? Elas acreditam que o pé pequeno é mais bonito e delicado e acabam comprando sapatos de número menor, mas isso é errado. O pé cresce conforme o restante do corpo, não dá para evitar ? diz.

Seja por um conceito de beleza, por uma paixão cega pela moda ou mesmo por uma “obrigação social”, como analisa o ortopedista Rafael Ortiz, o desejo por sapatos deve ser repensado pelas mulheres. Assim como a necessidade de uma cirurgia.

? Uma reflexão cuidadosa nos faz ponderar qual a dimensão do sofrimento que faz uma pessoa buscar esse tipo de intervenção e quais os custos financeiros, físicos, psicológicos e sociais desse tipo de procedimento ? aconselha o médico.

O ponto fraco das estrelas

Nem mesmo mulheres consideradas ícones de beleza escapam de alguns “defeitinhos” estéticos. Kate Hudson, Katie Holmes, Jennifer Garner e Paris Hilton estão na lista de famosas que desfilam pés não propriamente belos.


Kate Hudson: má formação dos pés, com a aparência de ter um dedo a mais.


Jennifer Garner: deformidade no dedo mindinho


Paris Hilton: pés grandes


Katie Holmes: calosidades e dedos longos.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna