Não engordar e não perder a libido: descubra o que as brasileiras esperam do anticoncepcional

Pesquisa revela o que as brasileiras desejam ao usar um anticoncepcional

Mais de 40% das entrevistadas acham que o uso da pílula aumenta a auto-estima
Mais de 40% das entrevistadas acham que o uso da pílula aumenta a auto-estima Foto: Stock Photos, Divulgação

Uma pesquisa divulgada nesta sexta-feira pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) revelou que para 77% das brasileiras, a pílula ideal é aquela que não interfere de forma negativa na aparência, ou seja, não engorda, traz benefícios adicionais, como melhora da aparência do cabelo e da pele, e ainda tem o potencial de manter a libido. Para o presidente da Comissão Nacional de Sexologia da Febrasgo, o ginecologista Gerson Lopes, o resultado revela o amadurecimento da mulher em relação ao que ela espera de uma relação sexual e de como ela lida com o seu próprio corpo.

? Até pouco tempo, não existia por parte dos médicos uma preocupação com a relação pílula e libido ? afirma.

No entanto, essa situação começa a mudar conforme a sexualidade começa a ser desmitificada e amplamente debatida na sociedade.

? Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a sexualidade é um aspecto que interfere diretamente na qualidade de vida delas ? completa Lopes.

Para o ginecologista, a preocupação das mulheres com a vida sexual, pede um contraceptivo que garanta prevenção da gravidez e, ao mesmo tempo, uma vida sexual prazerosa para a mulher. O especialista explica que a indústria farmacêutica está de olho nas novas demandas e femininas e que já há produtos no mercado que atendem essas requisições.

? As pílulas anticoncepcionais com ação anti-androgênica moderada alcançam este resultado, sem comprometer a sexualidade ? destaca.

Nas pílulas combinadas, o progestagênio (tipo de progesterona) é o componente que dá eficácia contraceptiva e os benefícios extra-contraceptivos. A escolha adequada do progestagênio na composição da pílula poderá agir contra ou a favor da sexualidade.

Segundo o especialista, o progestagênio clormadinona dá à pílula a propriedade de ação anti-androgênica moderada que age de duas formas. Primeiro impedindo que o hormônio masculino – testosterona – aumente a produção de oleosidade, deixando pele e cabelos mais bonitos. Por outro lado, a ação moderada vai garantir a atuação desse hormônio no organismo, favorecendo a manutenção da libido.

A pesquisa mostrou também que 41% das mulheres entrevistadas acham que o uso da pílula aumenta a auto-estima e 42% acreditam que melhora o humor.

? A melhora no aspecto visual contribui para a construção de uma auto-imagem positiva, o que, consequentemente, poderá influenciar ainda mais na auto-estima da mulher ? lembra o especialista.

Ainda de acordo com Lopes, é importante que a mulher esteja atenta aos efeitos do medicamento no seu corpo e no seu comportamento. Por mais tolo que, aparentemente, seja um desses efeitos é importante que ela o relate ao seu ginecologista, pois ele terá condições de avaliá-lo corretamente e até de indicar outro medicamento, caso seja necessário.

? O uso da pílula não deve interferir no humor da mulher, porque isso pode, dentre outros aspectos, comprometer a sua auto-estima ? alerta.

O resultado da pesquisa faz parte da segunda fase do projeto R.O.S.A (Resultados e Opiniões sobre Saúde e Anticoncepcional) divulgado hoje em Belo Horizonte. No total, a pesquisa ouviu 500 pessoas em todo o Brasil. O projeto foi desenvolvido em parceria com a Janssen-Cilag Farmacêutica.

Além disso foi divulgada a pesquisa que relata o que pensam as mineiras sobre o uso da pílula. Confira abaixo.

O que pensam as mulheres entrevistadas na capital mineira?

:: 83% não pretendem parar de usar anticoncepcional;

:: 68% afirmaram não ter intenção de mudar de método contraceptivo;

:: 69% delas afirmaram ouvir mais comentários positivos do que negativos sobre o anticoncepcional.


Onde elas buscam informação?

:: 61% das entrevistadas se informam sobre o método com o médico

:: 31% pela internet

:: 15% com amigas


Sobre o efeito da pílula:

:: 43% delas dizem que a vida sexual como um todo fica melhor com o uso da pílula.

:: 33% afirmam que melhora a frequência das relações sexuais.


Quando o assunto é libido, as mineiras entrevistadas…

:: 27% acham que a pílula aumenta a vontade de ter relação sexual

:: 61% acham que a pílula não interfere na libido

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna