Novas técnicas de lifting rejuvenescem o rosto, mantendo aspecto mais natural

Tire suas dúvidas sobre o procedimento que ajuda a deixar a pele mais jovem

Produtos apostam na praticidade, já que basta usá-los antes de se deitar
Produtos apostam na praticidade, já que basta usá-los antes de se deitar Foto: Anna Pegova, Divulgação

Compartilhar

Lasers que prometem um rosto jovem, preenchimentos que garantem acabar de vez com as marcas de expressão e até clínicas dermatológicas que oferecem cirurgia de pálpebras. Cuidado, os resultados podem deixar a desejar e, pior, exigirem outros tratamentos complicados. O alerta vale principalmente se o objetivo for rejuvenescer a face.

Depois de anos de exposição solar, estresse e efeito da gravidade, o que realmente recupera a elasticidade e acaba com a flacidez da pele do rosto e do pescoço é a plástica de lifting. A técnica até se modernizou para concorrer com os tratamentos das clínicas de estética e tem a vantagem de proporcionar um efeito duradouro.

Se a ideia é ter um tratamento completo, só os procedimentos dermatológicos e estéticos talvez não resolvam tudo, segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Apenas o lifting de face – técnica cirúrgica – proporciona o rejuvenescimento total, eliminando a flacidez.

? Em casos complexos, uma face com flacidez, cheia de rugas e vincos acentuados em diversas partes, a melhor opção continua sendo operar ? afirma o cirurgião plástico Sebastião Nelson Edy Guerra, presidente da SBCP.

Natale Ferreira Gontijo de Amorim, pesquisadora-chefe da Clínica Ivo Pitanguy, faz a mesma advertência, lembrando ainda que dermatologistas não têm a mesma formação de um cirurgião plástico.

? O laser, por exemplo, apenas melhora a qualidade da pele e, portanto, é um método complementar, não substituindo o lifting de face. O aparelho não acaba com a flacidez em grau moderado ou grave ? acrescenta a cirurgiã.

Paulo Roberto Leal, chefe do Serviço de Cirurgia Plástica e Microcirurgia Reconstrutora do Instituto Nacional de Câncer (Inca), vai além, afirmando que cirurgias delicadas, como a de pálpebras, devem ser executadas somente por quem tem um longo treinamento de cirurgião, pois suas sequelas poderão ser graves. E comenta que lasers e outros recursos não cirúrgicos só funcionam bem em mãos experientes.

? Não raro recebo pacientes que sofreram sérios danos ao se submeterem a tratamentos estéticos com profissionais não qualificados, e às vezes esses problemas são irreversíveis ? conta Leal.

PELE COM ASPECTO MAIS NATURAL

Se a única solução para ter novamente um rosto com a aparência jovem for encarar o bisturi, também é preciso saber em detalhes os prós e contras. Os cuidados no pós-operatório são muitos, com uma série de restrições para não botar tudo a perder. No lifting os médicos aproveitam para tratar a musculatura superficial da face e do pescoço, reposicionando a gordura das bochechas, quando caídas, e aspiram a gordura sob o queixo (a papada), se necessário.

? O objetivo é deixar a pele jovem com aspecto natural, sem parecer que foi puxada. Quanto maior a flacidez, mais extensa será a cirurgia, exigindo mais cortes ? explica Natale. ? Se a pessoa tiver excesso de pele e bolsas de gorduras nas pálpebras, essas queixas são tratadas durante o lifting ou em outra cirurgia. Isso vale também se quiser corrigir a queda da ponta do nariz.

Para o resultado ficar bem natural, as incisões hoje acompanham os contornos da orelha; assim ficam escondidas, podendo ser estendidas para dentro do cabelo. Um outro avanço na técnica é recolocar no lugar as bolsas malares que formam as maçãs do rosto.

? Com a idade, nossa face vai ficando com um desenho retangular e alongado. Depois do lifting é visível a face mais cheia na região da maçã e fina embaixo. Além de recuperarmos o contorno da juventude, suavizamos os sulcos ao redor da boca ? explica Natale.

PÁLPEBRAS NO LUGAR CERTO

Também Paulo Leal afirma que a recuperação das maçãs do rosto é uma das vantagens do lifting em relação às técnicas não cirúrgicas. Para fazer isso, os cirurgiões podem enxertar gordura retirada da barriga do próprio paciente. E ele acrescenta que a correção das pálpebras é, no mínimo, metade do sucesso da operação:

? Hoje no lifting há tendência a fazer incisões menores, principalmente nos pacientes mais jovens.

Um outra novidade no lifting, mas que não chega a encantar a todos os cirurgiões, é a videoendoscopia, um método que facilita a visualização dos músculos da face. A técnica tem a sua melhor indicação na plástica da fronte, especificamente a área da testa e das sobrancelhas, que afrouxam com a idade. Com a videoendoscopia eleva-se essa parte do rosto sem deixar grandes cicatrizes no couro cabeludo, e ela ajuda a atenuar algumas expressões faciais.

? A videoendoscopia proporciona um efeito semelhante ao da aplicação da toxina botulínica, mas nem todos os cirurgiões gostam de usá-la ? afirma Leal.

Já Natale acha que a videoendoscopia para fazer o rejuvenescimento facial só vale para as alterações muito visíveis na testa, e ela prefere indicar as aplicações de toxina botulínica.

O lifting proporciona um resultado definitivo por cinco a dez anos, em média, mas o envelhecimento natural continua, lembram os cirurgiões. Então o efeito dependerá muito de hábitos, especialmente no que diz respeito aos cuidados com a sua pele.

? Dependendo da avaliação, em situações mais complexas, uma nova intervenção após o primeiro ano complementa a primeira operação ? diz Sebastião Guerra.

E Paulo Leal lembra que as pessoas não são iguais, reagindo de forma diferente ao lifting.

? Há quem perca mais precocemente os efeitos do lifting. Até fatores emocionais influenciam.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna