Novos negócios têm as crianças como foco

Espaços e serviços exclusivos para o público infantil ganham força

Mais de 50% das mulheres com problemas de peso têm deficiência de cálcio, presente no leite
Mais de 50% das mulheres com problemas de peso têm deficiência de cálcio, presente no leite Foto: Divulgação, stock.xchng

A força de consumo da criançada está dobrando o mundo adulto.

Porto Alegre reflete o boom deste mercado com a estreia de um punhado de novos espaços, produtos e serviços feitos sob medida para o público infantil. Assim como em outros países, principalmente os Estados Unidos (craques em identificar os novos nichos), empresários brasileiros se esmeram em negócios para os pequenos que tenham uma característica fundamental: jeitão de exclusivo, de que as crianças notem que aquilo foi feito especialmente para elas.

Na última semana, em Porto Alegre, foi aberto o espaço mais completo nesta área, a casa Lezanfan. As sócias Luciana Chwartzmann e Melissa Bermudez abriram as portas de um projeto gestado por um ano e meio:

– As crianças encontrarão um mundinho bom, a infância como tem que ser, mas contextualizada. Elas não terão apenas experiências, terão vivências – explica Luciana.
Natural de Passo Fundo, a publicitária que trabalhou na área de pesquisa de mercado, foi criada em um universo assim. A mãe, ela relembra, sempre colocou “essência em tudo”.  Nem os lençóis das filhas eram convencionais, carregavam um detalhe, “nem que fosse uma grega como acabamento”, comenta Luciana. – Ela era empresária, trabalhava, mas sempre deu conta de tudo.

Luciana se inspirou em casa para o novo negócio, que une beleza, moda e oficinas.
A casa no Bairro Moinhos de Vento foi reformada e ganhou cenografia no lugar de decoração. A Lezanfan é um salão de beleza infantil em que a criança pode escolher o corte do cabelo em um cardápio e ganha um certificado – amostra dos fios inclusa – na primeira visita. Pode ainda  ter as unhas feitas, um serviço de higienização, apenas, ou incrementar a pintura – existe uma máquina que imprime adesivos. As estampas de unhas podem ser criadas pelo consumidor mirim em um computador com tela touchscreen.

– Queremos resgatar um espaço lúdico, mas sem esquecer do mundo tecnológico – diz Luciana.

No setor de moda, a atração são grifes exclusivas, como Emanuelle Junqueira, “que faz roupas de menina, e não de mini adultas”, ressalta a empresária. O charme fica por conta dos provadores. As cortinas lembram as de teatros infantis, com uma janelinha vazada para que o adulto espie por ela quando for consultado sem invadir a privacidade do cliente aprendiz. Na parte das oficinas, foi montada uma agenda de cursos rápidos com títulos tão sugestivos como “Oficina de Bichos Gosmentos”. O nome Lezanfan vem da pronuncia do francês Les Enfants (as crianças).

– Nosso nome já resume. É fácil de registrar, é divertido, pois é uma brincadeira com o francês e é bem infantil – diz Melissa, também sócia.

A duas quadras e dali, na mesma Barão de Santo Ângelo, está a Amora Baby, de Ana Cristina Maisonnave e Frederica Arthur. A marca nasceu há seis meses como uma loja virtual, mas a  grande procura obrigou que a Amora  abrisse um espaço no segundo andar da Casa Roxa, além de diversificar produtos.

– Começamos com enxovais, focadas em bebês. Agora lançamos uma sessão só de fantasias, com oito modelos diferentes, de princesas, fadas e até de indianas, inspirada na Maya da novela – conta Ana Cristina. – É um mercado com retorno, só estamos atendendo aos pedidos dos nossos clientes.

Quem também incrementou a agenda para atender as sugestões dos adultos foram as donas do Arte Aplicada. O espaço de cursos e venda de produtos têxteis tem três meses e, em julho, passou a oferecer cursos de tricô para crianças.

– As mulheres chegavam se queixando: “Nossas mães nos ensinavam tudo e agora as crianças não sabem nada manual” – revela Darlene Lins.

As primeiras turmas já contam com oito alunas inscritas. Para aulas de tricô, fuxico, mimos em feltro só há procura de meninas, mas Darlene pretende atender os guris com oficina de tear de pregos:

– O que mais me impressiona é que as crianças descobrem e se surpreendem com o que é feito com a mão humana, não com o tecnológico. Acontece o oposto das gerações passadas, em que a novidade era a tecnologia.

Ginástica também é negócio para criança. Academias e clubes lançam aulas para os pequenos e colônias de férias, sendo que a onda do momento são as modalidades petit: capoeira para criança, yoguinha e a mais criativa: treinamento para super-heróis.
Em uma das academias de melhor estrutura da Capital, a Body One, há um mês foi lançada a Power Kids:

– É uma aula em que eles treinam para ser super-heróis: correm, escalam objetos, sobem em cordas, correm – detalha Luciane Citadin, a coordenadora técnica.  – Os pais procuram muito, querem conciliar com as suas atividades físicas. Temos o cuidado de dar as aulas em sala especial, com equipamentos adequados para a idade deles, até sete anos.

Se existe loja conceito para adultos, Porto Alegre tem a sua para crianças, a Refúgio Mini. Fica no segundo andar da loja Refúgio, que também tem moda para os crescidos e objetos de decoração. O bacana é que o mundo por lá não se limita a crianças cor de rosa ou azul, menina ou menino, aliás, roupas assim passam despercebidas:

– Temos muitos clientes que nos procuram porque sabem que vendemos roupas pretas até para bebê – conta Ismael Goli, um dos quatro sócios da loja.

Entre araras (na realidade armários de madeira), mesas, cômodas, há uma porta em que só passam os pequenos e uma piscina de bolinhas. Goli é publicitário e arrisca seu palpite para interpretar o momento atual do mercado infantil:

– Antes era loja de adulto ou todo o resto ia para apenas uma de criança. O que se nota é que este mercado se pulverizou. Não é só uma loja imensa, com roupa de criança e brinquedos. Ficou nichado, há espaço para a criança mais tradicional, a mais descolada… Aqui na Refúgio Mini quem vem é a criança mais alternativa, a mãe que tem mais informação, mais conceito.

Pelas estreias recentes listadas na coluna: salão de beleza, curso de tricô, treinamento de super-herói e loja conceito kids, não há dúvida de que a criançada saiu ganhando em opções:

– Bebês nascem todos os dias – costuma brincar Ana Cristina Maisonnave.
Ela tem razão. É um mercado que se renova por segundo.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna