O estilista requisitado por rainhas, estrelas e princesas

Um dos ícones da alta-costura, o libanês Elie Saab cria vestidos que são um luxo, enfeitados com joias e bordados preciosos

Foto: Reprodução eliesaab.com

O estilista libanês Elie Saab prefere agradar às mulheres com suas criações particulares, em vez de impressionar o público e a crítica. Nas coleções, deixa evidente a fascinação que tem por volumes, tecidos elegantes e pelos mínimos detalhes. Considerado um dos ícones da alta-costura da atualidade, Saab, também conhecido pelas iniciais ES, apresenta desfiles em que aposta na predominância de vestidos para o dia e para a noite e tailleurs na altura do joelho, todos com ricos bordados e drapeados perfeitos.

Para o outono-inverno 2009/2010, o estilista levou às passarelas modelos com generosos decotes nas costas e aberturas sobre o peito, concedendo a todos eles a elegância suprema em que não há espaço para vulgaridade e tons chamativos. As criações dele, com pedras e joias, são usadas por estrelas como Penélope Cruz, Catherine Zeta-Jones, Sharon Stone, Liz Hurley, Charlize Theron e Eva Longoria.

Clientes célebres

Halle Berry foi a encarregada de consagrar o nome de Elie Saab no mundo todo, após surgir deslumbrante na cerimônia do Oscar 2002 com um vestido de noite de tafetá bordô e corpo em seda de tule, decorado com rosas bordadas no peito. “Foi um momento extraordinário, tive uma enorme repercussão, estava feliz com o sucesso de Halle e com minha repentina fama”, contou o estilista à revista “Vogue”.

No entanto, a grife ES já era conhecida no Oriente Médio e bastante requisitada entre a nobreza. Agora, o nome dele está situado ao lado dos melhores estilistas do mundo, como Karl Lagerfeld, John Galiano, Paul Gaultier, Armani, Valentino, Christian Lacroix, Oscar de la Renta e Carolina Herrera.

Elie Saab nasceu no Líbano em 1964 e, ainda criança, começou a desenhar, de maneira autodidata, vestidos para a mãe e as irmãs. O desenho e a costura são sua grande paixão. Com 18 anos, apresentou, no Cassino de Beirute, os primeiros modelos, uma coleção que mergulhou na cultura oriental e mesclou ocasionais brilhos ocidentais que encantaram os presentes. O trabalho foi bem recebido pela crítica – e o estilista foi chamado de “gênio precoce”.

A partir desse momento, tornou-se o favorito das mulheres do Oriente Médio, entre elas, a sempre elegante rainha Raniada Jordânia. “Para mim, é um verdadeiro orgulho vestir a rainha da Jordânia. Mas meu estilo não faz sozinho a imagem de Rania. Ela tem uma grande personalidade, além de bom gosto. Nós nos entendemos muito bem, temos o mesmo ponto de vista sobre as coisas”, observa.

Na década de 90, Saab fazia desfiles privados na França e na Suíça para apresentar às clientes europeias suas últimas criações. Princesas como Caroline de Mônaco ou Mary da Dinamarca escolheram peças do libanês para brilhar em jantares de gala. O ateliê do estilista libanês não para de receber ligações de rainhas, princesas, primeiras-damas, atrizes e senhoras anônimas com grande poder aquisitivo que desejam usar criações de Saab.

Sua cliente mais recente e fiel é a primeira dama dos Estados Unidos, Michelle Obama. O sucesso de Elie Saab reside em apostar na beleza e renová- la constantemente. Para ele, o mais importante é a mulher, a personalidade e, sobretudo, a sutileza e a aura de mistério que a envolve, e não o vestido em si. O último desafio do estilista é trabalhar no ramo de decoração, grande hobby dele. Saab acaba de assinar um contrato para decorar um hotel com suítes e bangalôs luxuosos em Dubai, onde exibirá bom gosto, personalidade e estilo no pequeno e exclusivo universo.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna