Pais devem acostumar os filhos a dormir na hora certa desde cedo

Garantir um bom sono durante a infância estimula esse hábito na fase adulta

Nos primeiros meses de vida, bebês chegam a dormir 16 horas por dia
Nos primeiros meses de vida, bebês chegam a dormir 16 horas por dia Foto: Dhiego Andrade,stock.xchng

Quando têm uma boa noite de sono, muitos costumam dizer que dormiram como um bebê. A expressão remete à ideia de que o descanso das crianças costuma ser tranquilo. Muitos pais, no entanto, sabem que isso nem sempre é verdade e se preocupam com o sono agitado de seus filhos. E com razão. A saúde da criança está diretamente ligada às horas de sono. Não por acaso, nos primeiros meses de vida, elas chegam a dormir 16 horas por dia, intercalando o repouso com outras atividades.

– O sono está relacionado ao funcionamento cardiovascular, imunológico e metabólico. É importante do ponto de vista orgânico e psicológico. Ele interfere nas capacidades cognitivas e nas habilidades sociais da criança – diz o pediatra João da Costa Pimentel Filho, do Núcleo Permanente de Estudos sobre o Sono da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Segundo o especialista, é durante o sono que o bebê assimila aquilo que viveu e aprendeu na vigília. Por isso, dormir tranquilamente é fundamental para a capacidade de aprendizado. Além disso, ao dormir, o organismo libera os hormônios do crescimento. A melhor forma de garantir um sono saudável às crianças, segundo os médicos, é a rotina.

– O bebê precisa estar seguro em relação ao ambiente em que vive, e é necessário que algumas medidas sejam tomadas, por exemplo, que um dia seja igual ao outro. Isso dá ao bebê a noção de previsibilidade, muito importante para garantir a segurança – afirma a psicóloga Cynthia Boscovich.

Pimentel Filho concorda:

– Os recém-nascidos, principalmente, ainda não fazem a diferenciação do dia e da noite. Vão sentir vontade de comer e dormir em horários diferentes dos nossos. Os pais precisam acostumá-los, acalmando progressivamente o ambiente.

Sem compensação

Garantir um bom sono agora faz com que a criança, ao ficar mais velha, acostume-se a dormir no horário adequado. Segundo Pimentel Filho, é importante que ela durma cedo. Um erro comum de alguns pais é achar que horas de sono a mais pela manhã compensam o tempo de descanso perdido à noite.

– Dormir muito tarde não faz bem para ninguém, principalmente para a criança, que fica privada da alimentação no horário adequado, do contato social que ela pode ter com a família e com outras crianças, além de ficar mal acostumada para o horário escolar – alerta.

Ana Lúcia Machado, 50 anos, avó de Luna Marcela, um ano e 11 meses, já percebeu que a neta não se sente bem quando dorme muito tarde.

– Noto que ela fica agitada e mais chorona – conta.

Às vezes, a hora de descanso da garotinha é adiada para que ela possa aproveitar a companhia da mãe, Rayná Machado, 21 anos, que trabalha o dia todo. Mas a família já chegou à conclusão de que o ideal é estabelecer algumas regras para a menina.

– A gente procura evitar que ela tire o cochilo da tarde depois das 17h para não perder o sono – diz Rayná.

Dicas:

:: Estabeleça uma rotina: Um dia igual ao outro dá a noção de previsibilidade para o bebê. Ele se sente mais seguro. É importante que ele se acostume a dormir sempre no mesmo horário e local;

:: Crie rituais do sono: Tomar um banho gostoso, receber uma massagem, ouvir uma história ou uma música são atividades que relaxam o bebê. Medidas que acalmam o ambiente ajudam a tranquilizá-lo também;

:: Evite brincadeiras agitadas: Atividades que excitem o bebê, como jogos e brincadeiras, prejudicam a desaceleração da criança e o entendimento de que é hora de dormir;

:: Garanta o conforto: Fralda suja, fome, dor, frio e calor deixam a criança incomodada. Deixar chorando no berço não ajuda;

:: Evite ninar demais: Isso “vicia” o bebê, que pode ficar dependente dessas associações e não conseguir mais dormir sozinho;

:: Deite-o de barriga para cima: É a melhor posição para uma noite tranquila e para evitar distúrbios como a síndrome da morte súbita.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna