Para fugir da insolação, dermatologista ensina truques simples

Não esqueça de ingerir bastante líquido, mesmo sem sede

Aproveite o contato com a água para refrescar a pele
Aproveite o contato com a água para refrescar a pele Foto: Jefferson Botega

A insolação nessa época do anos é mais comum do que se imagina. Ela ocorre, especialmente, quando quem não é acostumado a se expôr ao sol abusa nas férias. Além de prejudicar a saúde, o problema afeta toda a programação feita previamente para o período. Segundo a dermatologista Karina Nunes, da clínica Innove, de São Paulo, os sintomas iniciais variam desde a sudorese intensa, mal-estar passageiro, tonturas, dores de cabeça, dores abdominais, náuseas e vômitos, sempre associados com a sensação de febre alta.

? A insolação é o conjunto de sintomas que acomete uma pessoa exposta demasiadamente ao sol. Nessas situações, o organismo reage de maneira bastante peculiar. Para garantir que o aquecimento do corpo não traga prejuízos ao funcionamento dos órgãos e tecidos ocorrem a dilatação dos vasos sanguíneos superficiais, que deixam a pele vermelha, e o aumento da atividade respiratória ? explica.

Engana-se, no entanto, quem pensa que o problema ocorre apenas em dias ensolarados. O cuidado também é essencial em dias nublados, pois cerca de 70% dos raios UV atravessam as nuvens, independente de percebermos a presença do sol ou não. Além disso, também devemos ter cuidado com a luz refletida, isto é, mesmo sem estar diretamente exposto ao sol, é possível ter insolação, a luz dos raios reflete na areia, na neve, nas salinas, no concreto e na água, atingindo e aumentando a temperatura da pele até sem percebermos.

Amenizando os efeitos do problema

Segundo a especialista, para enfrentar o problema, o objetivo inicial é baixar a temperatura corporal, lenta e gradativamente até o momento da consulta médica.

? Ao primeiro sinal de insolação, o melhor é levar a pessoa para um local fresco e arejado. Se possível coloque-o numa sala com ar condicionado frio, ou sob o fluxo de um ventilador ? explica ressaltando que é essencial remover ao máximo as peças de roupa do paciente.

? Se possível borrife água fria em todo corpo, delicadamente, e ofereça bastante água fria, gelada ou qualquer líquido ? aconselha.

Em casos graves de queimadura e de aumento da temperatura corporal, explica Karina, a dica é aplicar compressas de água fria na testa, pescoço, axilas e virilhas. E, assim que possível, colocar a pessoa imersa em banho frio ou envolto em panos ou roupas encharcadas.

Protetor solar: o melhor aliado

Segundo a especialista, não basta usar o protetor solar na pele apenas uma vez ao dia, como a maioria das pessoas desavisadas costuma fazer.

? Deve-se reaplicá-lo mais de uma vez, de preferência a cada três horas e sempre 20 a 30 minutos antes de se expor ao sol, para este aderir à pele. Também há a necessidade da reaplicação quando se transpira muito e no caso de se tomar banho após a aplicação ? ensina.

Além disso, não use filtros solares em bebês com menos de seis meses de idade. Mantenha-os fora do alcance dos raios solares.

O fator de proteção solar depende muito do tipo de pele e até mesmo do local que se quer proteger. A parte do corpo mais sensível ao sol, por exemplo, é o rosto, cuja pele tem menos de 1 mm de espessura, cerca de 100 vezes mais fina que a do braço, por exemplo.

O fator solar depende do tom da sua pele. Veja qual o seu caso:

:: pele muito branca
? corpo: FPS 40
? rosto: FPS 60

:: pele branca normal
? corpo: FPS 30
? rosto: FPS 30

:: pele morena ou negra
? corpo: FPS 15
? rosto: FPS 30

Prevenção

Para fugir do problema, segundo Karina, é fundamental que as pessoas aceitem e respeitem os limites do próprio corpo.

? Mesmo nos períodos de sol mais suave, nunca se exponha mais do que duas horas seguidas. Um bebê não deve ficar mais de dez minutos no sol, mesmo de manhã cedo ou no final da tarde. A pele ainda é muito sensível para este tipo de exposição ? afirma.

Confira dicas:

:: evite tomar sol entre 10h e 16h (11h e 17h, no horário de verão) e nunca faça exercícios físicos sob o sol nesse horário;

:: use roupas claras, de algodão, leves, que refletem os raios de sol e por isso esquentam menos;

:: use um chapéu ou um boné, de preferência com furos nas laterais, que permitem a evaporação do suor da cabeça;

:: mergulhe periodicamente na piscina ou no mar, ou tome duchas frias ao longo do dia;

:: beba muitos líquidos, não espere sentir sede. Vale tomar água, água de coco, sucos, bebidas esportivas. Nos dias quentes, precisamos ingerir ao menos três litros de líquidos para compensar nossas perdas;

:: não é bom passar cremes no momento em que se sofre a insolação. A fricção na pele neste estado é muito dolorosa. Se, mesmo assim, você quiser usar algum produto, fale antes com o dermatologista. Alguns cremes podem causar ainda mais irritação na pele;

:: não tome banho muito quente e demorado;

:: dê preferência aos sabonetes neutros na hora de tomar banho;

:: use filtros solares que contenham hidratante ou, caso não seja possível, usar um bom hidratante pós-sol;

:: evite o uso de produtos que contenham álcool em sua composição

Leia mais
Comente

Hot no Donna