Para não deixar de se exercitar, mãe leva o filho de sete meses para a corrida matinal

Exercícios durante e após a gravidez é aliado da mãe para cuidar bem da própria saúde

Pedro toma uma mamadeira de lite antes do passeio e dorme em praticamente todo o trajeto
Pedro toma uma mamadeira de lite antes do passeio e dorme em praticamente todo o trajeto Foto: Guto Kuerten

Professora de educação física, a atual profissão de Tatiana Tavares, 36 anos, é ser mãe de Pedro. Para não deixar de fazer o que mais gosta, resolveu levar o filho de sete meses para sua corrida diária na Avenida Beira-Mar Norte, em Florianópolis (SC). Sorridente e simpático, o bebê curte o passeio e, em menos de cinco minutos, já está dormindo no aconchego de um confortável carrinho.

De manhã, por volta das 8h, horário ideal para não prejudicar a saúde do pequeno, mãe e filho já estão na pista de corrida – protegidos com protetor solar, boné e roupa leve.

A professora começou a correr aos 30 anos. Participou com o marido, Ricardo Tavares, da maratona de Nova York em 2008 e, no ano seguinte, da de Chicago. Engravidou e pensou que não iria mais praticar a atividade. Foi quando, em Miami, comprou o carrinho com rodas maiores, mais confortável. A semente estava plantada, mas a dúvida permanecia.

Na época, ela fazia apenas natação e, numa conversa com o marido, surgiu a ideia de correr com o bebê. Em janeiro, colocou em prática. Segundo Tatiana, Pedro se adaptou facilmente e adora a rotina. Ela conta que, durante o trajeto, ele só acorda no momento do alongamento.

– Tomo um café, e ele a mamadeira. Vejo as condições do clima e em seguida saímos para correr. Depois de cerca de 40 minutos encerramos a atividade – revela a professora.

Voltando à ativa

Exercícios durante a gravidez e no pós-parto reduzem desconfortos e previnem doenças, como a hipertensão

– Para praticar exercícios no pós-parto, é recomendado esperar pelo menos 40 dias após dar à luz, para que o corpo, ainda sensível, não seja forçado.

– A frequência e a intensidade poderão ser progressivamente aumentadas, para não prejudicar a produção do leite.

– Os exercícios devem ser leves, com duração de 30 minutos a uma hora por dia, duas vezes por semana.

– Durante essa fase de readaptação, as modalidades mais indicadas são a caminhada, a bicicleta ergométrica, a hidroginástica e até a musculação, sempre com a supervisão de um profissional.

Mexer-se é bom para…

– Controlar o peso

– Manter a condição física

– Diminuir dores e desconfortos posturais

– Melhorar a autoestima e a ansiedade

– Reduzir edemas e inchaços

– Prevenir varizes e hemorroidas

Leia mais
Comente

Hot no Donna