Parto raro em Florianópolis: gêmeas nascem em um intervalo de 49 horas

Aguardar para fazer o segundo parto no caso de prematuros é uma tendência da medicina

Tops como Mariana Weickert desfilaram para Marcelo Sommer
Tops como Mariana Weickert desfilaram para Marcelo Sommer Foto: Agnews

Elas são gêmeas, mas vão fazer aniversário em datas diferentes. Josiane Vitória e Helena da Graça nasceram com 49 horas de diferença, no Hospital da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis. O caso é raro na medicina. Depois de 20 mil partos e 15 anos, é a primeira vez que isso acontece no hospital catarinense.

Com 24 semanas de gestação, a mãe, Elen de Oliveira Eugênio, 17 anos, deu entrada no hospital na segunda-feira, por estar com nove centímetros de dilatação, o que é considerado elevado. Como estava com apenas cinco meses de gestação, foi internada para uma tentativa de postergar o momento de dar à luz. Os pulmões das crianças tinham acabado de se formar, mas ainda não estavam totalmente desenvolvidos.

Às 23h12min de quinta-feira nasceu, de parto normal, Josiane, com 33 centímetros e apenas 715 gramas. Como os bebês estavam em placentas separadas, a equipe médica optou por deixar a outra pequena mais tempo no útero, de forma a poder se desenvolver mais. Só à 0h11min de sábado Helena nasceu, um pouco mais pesada, com 740 gramas e o mesmo comprimento da irmã.

– Agora, espero que elas fiquem bem logo. Não vejo a hora de pegá-las no colo e levá-las embora – diz Elen.

De acordo com a equipe de obstetrícia do hospital, aguardar para fazer o segundo parto no caso de prematuros é uma tendência da medicina para ganhar tempo de amadurecimento do segundo bebê. Mas isso só é possível quando a placenta e o saco gestacional são separados para cada feto.

Joseane e Helena terão um longo caminho para evoluir com ajuda de medicamentos. A pediatra Luciana Sicone observa que as próximas seis semanas são o período mais crítico para o desenvolvimento. As gêmeas estão na unidade de terapia intensiva (UTI) Pré-Natal, respirando por aparelhos e sendo nutridas pelas veias. Elas devem ficar internadas entre 60 e 90 dias.

:: A partir de 24 semanas de gestação, órgãos como o pulmão já estão formados no feto, mas ainda não totalmente desenvolvidos. Nesse período, é possível apostar em um parto prematuro. Antes disso, não há chances de sobrevivência. Para estar completamente pronto para nascer, o número de semanas da gestação deve ser de 42.

:: Com o avanço nas pesquisas, é possível esperar mais tempo para o parto do segundo bebê, permitindo que ele se desenvolva mais dentro da barriga da mãe. Para isso ser possível, cada um precisa estar em placentas separadas.

:: Só é indicado fazer o procedimento quando a mãe tem menos de 30 anos e a primeira criança nasce de parto normal, pois a cesariana traz mais riscos de infecções.

Fonte: fonte: Obstetrícia Hospital Universitário

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna