Perfumistas investem em aromas doces

Designers desenvolvem perfumes que parecem sobremesas

O superdoce Angel Eau de Toilette
O superdoce Angel Eau de Toilette Foto: Dan Neville, The New York Times

Vinte anos atrás, quando um grupo de perfumistas, reunidos em uma sala, sentiu pela primeira vez o perfume Angel, da Thierry Mugler, conhecido por ter uma essência doce, a maioria deles torceu o nariz com asco.

? Eles diziam: O que é isso? Isso não é um perfume. Isso é um sabor. É horrível ?lembrou Pierre Aulas, atual diretor artístico olfativo da Thierry Mugler, que trabalhava para outra empresa na época, mas estava na sala.

Hoje em dia, o Angel, uma forte dose de patchouli com uma base doce que remete a uma imagem de Janis Joplin segurando um pirulito, é o quinto perfume mais vendido nos Estados Unidos, de acordo com a empresa de pesquisa de mercado NPD Group.

Sua base doce ? uma mistura de baunilha, caramelo e praliné que o fez se destacar entre os aromas florais e secos dos anos 1980 e início dos anos 90, e que, indiscutivelmente, criou a categoria “gourmand” entre os perfumes ? é copiada por tantos criadores de perfumes que você poderia até ser perdoado por confundir uma loja de perfumes com uma confeitaria, pelo menos se estivesse com os olhos fechados.

Aulas estima que haja pelo menos 50 perfumes semelhantes ao Angel atualmente no mercado, incluindo o Euphoria, da Calvin Klein (um Angel amadeirado), o Flowerbomb, da Viktor & Rolf (um Angel floral e seco) e o Mademoiselle, da Coco Chanel (um Angel acrescido de notas marinhas).

Entre os mais recentes perfumes açucarados estão o Loverdose, da Diesel (com notas de baunilha e alcaçuz), uma versão “diet” (eau de toilette) do Angel, com menos patchouli e mais suco de frutas vermelhas, que levou dois anos para ficar pronto; e o Candy, da Prada, que tem cheiro de sundae de baunilha e caramelo feito com sorvete artesanal. A designer Miuccia Prada, cujas incursões anteriores nesse campo enfatizaram notas de âmbar e íris, disse aos criadores do perfume que estava com vontade de elaborar uma essência doce.

? Ela deu instruções muito claras ? disse um deles, a perfumista Daniella Andrier. ? Ela queria caramelo, mas não só metade de um caramelo. Queria algo descompromissado e ousado.

Outros designers também têm desenvolvido perfumes que se parecem com sobremesas.

? Em geral, eu prefiro ingredientes doces, que sejam caprichosos e modernos, como maçã-camoesa, chocolate amargo e glacê rosa ? escreveu Vera Wang por e-mail. Seu perfume Princess, de 2006, é um perfume gourmand que inclui essas notas.

Assim como os chocolates York Peppermint Patties ou Mast Brothers, os perfumes doces tendem a ser viciantes (em parte, talvez, por oferecerem uma experiência adocicada sem calorias). Lev Glazman, que fundou a linha de cosméticos Fresh com sua esposa, Alina Roytberg, usou a palavra “vício” ao falar sobre sua linha de perfumes Sugar (Açúcar). Além do perfume Sugar, cuja inspiração veio da lembrança de sua mãe russa ? que usava açúcar para evitar infecções em seus arranhões durante a infância ? há os perfumes Sugar Lemon, Sugar Lychee e Brown Sugar. 

? Eu queria que essa propriedade viciante se destacasse ? disse Glazman. ?Quando estou cercado por pessoas que usam um perfume doce, entendo por que elas a apreciam e por que aqueles que estão por perto também gostam. O doce é muito caloroso. Nós temos vontade de sentir o cheiro do pescoço de uma pessoa que usa um perfume assim. Quanto tempo você consegue sentar na frente de um belo bolo de chocolate sem ter vontade de comer um pedaço dele?

O apelo do Angel, no entanto, não era tão óbvio. Quando as vendedoras da loja Bloomingdale’s borrifaram o perfume pela primeira vez nos pulsos das clientes, muitas correram para o banheiro para lavar as mãos, contou Aulas.

? Muitas pessoas odiaram, mas foi justamente disso que nós gostamos ? disse ele. ? Quando se trata de perfumes, a gente sempre quer que as pessoas os amem ou odeiem, porque aquelas que gostam do perfume são apaixonadas por ele de verdade.
Ann Gottlieb, presidente da empresa de consultoria em perfumes Ann Gottlieb Associates, que ajudou a desenvolver perfumes como o Obsession, da Calvin Klein, e todos os desodorantes em spray da Axe, disse que a tendência atual dos perfumes doces não está acontecendo apenas por causa do Angel, mas também como resultado de uma série de loções para o corpo e géis de banho baratos, feitos com essência de baunilha e coco, que as mulheres compram em lugares como a Bath and Body Works, para a qual ela já prestou consultoria.

? Eu acho que a Bath and Body Works foi mais responsável por criar essa categoria do que os perfumes finos ? disse Gottlieb. ? Ela possibilitou que as mulheres gostem de aromas saborosos e doces, ao invés de florais e frutados.

Jean-Claude Ellena, perfumista exclusivo da Hermès e autor de Perfume: The Alchemy of Scent (Perfume: A Alquimia do Aroma, em tradução livre) admira o Angel pela sua estrutura.

? Ele tem uma forma forte. As pessoas conseguem reconhecer alguém que usa Angel na rua.

Mas ele se recusa a utilizar notas açucaradas em seu próprios perfumes.

? Minha experiência diz que quando você usa um produto gourmand açucarado, sente prazer facilmente. E quando você sente prazer facilmente, o prazer dura apenas um momento, e depois desse momento, é esquecido. Eu prefiro um perfume que seja mais difícil de entender.

Como alternativa a essa tendência, seu novo perfume, Santal Massoia, lançado em novembro pela Hermès, é feito das madeiras “leitosas” do sândalo e da massoia. O perfume lembra uma espécie de árvore que passou por uma tempestade brutal. 

? Eu nunca senti um cheiro assim antes ? conta ele. ? Mas é estranho e me apetece.

Os perfumes gourmand, por outro lado, “parecem sorvete”, observa Ellena.

? Você toma um sorvete e logo se esquece dele. Para mim, perfumaria não tem nada a ver com sorvete. Eu gosto de sorvete, mas ele dura apenas um momento de prazer e nada mais.

Leia mais
Comente

Hot no Donna