Pesquisadores explicam o fracasso dos “speed dates”

Há muita variedade atualmente, explicam os autores do estudo

Encontros com tempo cronometrado não dão certo
Encontros com tempo cronometrado não dão certo Foto: Stock Photos

Os “speed dates”, encontros em que mulheres e homens em fila indiana se conhecem e têm a oportunidade de se falar/ conhecer/gostar em três minutos não funcionam, certo? Basta olhar para a fórmula para constatar, mas um estudo publicado na Royal Society Biology Letters explica que o fracasso acontece porque, com tantas opções, as pessoas ou evitam a seleção ou escolhem errado.

O fenômeno também ajuda a entender porque menus extensos em restaurantes, muitas ofertas de descontos e outras situações embaralham nossa mente.

? Nossos antepassados viviam em uma comunidade menor e nunca se confrontavam com essa variedade de hoje ? explicou o co-autor do estudo, Alison Lenton ao canal Discovery News.

A pesquisa analisou as decisões de 1.868 mulheres e 1.870 homens em 84 encontros rápidos. Ao se registrar, essas pessoas davam idade, peso, altura, nível escolar, religião, ocupação e se fumavam ou não.

Em cada evento os participantes encontravam membros do sexo oposto por três minutos e em 48 horas comunicavam sua decisão. Conforme a variedade aumentava, as propostas de namoro diminuíam e alguns participantes não fizeram nenhuma escolha.

?  Acreditamos que isso tem a ver com a tendência de escolhas humanas, ou seja: fazemos julgamentos relativos, não absolutos. Comparamos opções em vez de escolher um ideal, então conforme o número de encontros aumentava, maior a percepção da variedade entre as opções ? analisou Lenton.

Leia mais
Comente

Hot no Donna