Pessoas atraentes são mais egoístas, aponta estudo

Por serem melhores parceiras para o acasalamento, elas tendem a se achar autossuficientes, dizem os cientistas

Um novo estudo diz que as pessoas abençoadas com características faciais simétricas e, portanto, mais atraentes, como a atriz Natalie Portman e o ator George Clooney, são menos propensas a cooperar e são mais egoístas, mantendo o foco em seus próprios interesses. Segundo os autores da pesquisa, a explicação pode ser encontrada na seleção natural. Eles afirmam que, em um nível subconsciente, as pessoas tendem a ver os atributos físicos simétricos como um sinal de boa saúde, o que leva à atração física.

A pesquisa será apresentada no encontro anual dos agraciados com o Prêmio Nobel, em Lindau, na Alemanha, na próxima semana. Estudos anteriores sugeriram que os indivíduos com rostos simétricos tendem a sofrer menos doenças congênitas e, portanto, seriam melhores parceiros para o acasalamento. Então, dizem os autores, essas pessoas se acham mais autossuficientes e têm menos necessidade de procurar a ajuda de outras.

Os autores, Santiago Sanchez-Pages, que trabalha nas Universidades de Barcelona e Edimburgo, e Enrique Turiegano, da Universidade Autônoma de Madri, também investigaram a relação entre os níveis de cooperação e a exposição à testosterona durante o desenvolvimento. O hormônio masculino é geralmente associado a comportamentos agressivos, sugerindo que os “machos alfa” não são bons para trabalho em equipe. Mas os próprios investigadores dizem que esta é apenas uma verdade parcial e que a testosterona pode promover um comportamento de cooperação.

? Os indivíduos expostos a altos níveis de testosterona durante o desenvolvimento fetal não cooperaram menos do que o resto dos participantes, e cooperaram até mais que indivíduos com níveis médios do hormônio ? explicam.

Na opinião dos autores, não se pode ter uma “conclusão simplista” e achar que a assimetria facial e o nível de testosterona podem ser usados para prever o comportamento de uma pessoa, mas a pesquisa poderá ajudar a entender melhor algumas condutas.

Leia mais
Comente

Hot no Donna