Pílula anticoncepcional e cigarro: uma combinação perigosa

A mistura pode trazer problemas ao sistema vascular e deteriorar a saúde da pessoa

O uso concomitante da pílula anticoncepcional com cigarro pode causar infarto
O uso concomitante da pílula anticoncepcional com cigarro pode causar infarto Foto: Gilmar de Souza

O número de adolescentes que faz uso das pílulas anticoncepcionais cresce gradativamente, porém, em boa parte dos casos, sem a orientação médica. Na maioria das vezes, o objetivo é evitar a gravidez indesejada, mas a falta de informação sobre como utilizar corretamente o medicamento pode comprometer sua eficácia e causar sérios danos à saúde.   

Poucas jovens sabem, inclusive, que a combinação de hormônios sintéticos ? drosperinona, etinilestradiol, estrogênio e progestágeno ? com substâncias tóxicas ingeridas através do cigarro é extremamente perigosa. Os principais problemas de saúde acontecem principalmente no sistema vascular, composto por coração, veias e artérias.

Estima-se que 65 milhões de mulheres utilizem anticoncepcionais orais e, segundo a Organização Mundial da Saúde, 5 milhões de pessoas morrem por ano devido ao uso contínuo de tabaco, o que significa uma morte a cada seis segundos. Embora a mulher seja menos propensa a doenças cardiovasculares do que o homem, o risco de um derrame, por exemplo, aumenta em até 3% com o uso de anticoncepcionais.

O médico cardiologista Américo Tângari Jr. explica que os anticoncepcionais orais são os mais nocivos à saúde feminina.

? Jovens fumantes têm de quatro a dez vezes mais chance de ter uma doença vascular do que as que não fumam ? diz o médico.

A presença de estrogênio em nível acima do normal no organismo pode causar a formação de um coágulo ou trombo nas vias arteriais, elevando também a taxa de colesterol ruim (LDL) e diminuindo o colesterol bom (HDL).

:: Fique atenta:

:: O uso concomitante da pílula anticoncepcional com cigarro pode causar infarto do miocárdio, uma das enfermidades mais nocivas do sistema circulatório. Mulheres fumantes, hipertensas ou diabéticas devem ter cuidado redobrado;

:: Observa-se o aumento da pressão arterial, entre 5% e 10%, com mais freqüência em mulheres que fazem uso ao mesmo tempo de cigarro e de pílula anticoncepcional, principalmente naquelas que já possuem histórico familiar de hipertensão arterial;

:: A orientação e prescrição do medicamento deverão ser feitas exclusivamente pelo médico ginecologista devido ao grande risco de efeitos colaterais. Somente um especialista pode avaliar qual é o melhor método contraceptivo para cada paciente.

Leia mais
Comente

Hot no Donna