Por que os cães são grandes amigos dos homens

Nas últimas semanas, cães salvaram a vida de seus donos em dois assaltos, em Garibaldi e em Caxias

Flores cítricas valorizam penteados simples
Flores cítricas valorizam penteados simples Foto: Agência O Globo

É comum ouvir que o cachorro é o melhor amigo do homem. E não é para menos. Além de serem companheiros, muitas vezes estes animais arriscam suas vidas para proteger os donos.

Nas últimas semanas, quatro cães viraram notícia após terem defendido seus proprietários de assaltantes. Em Garibaldi, no dia 23 de janeiro, o boxer Max levou dois tiros, um no peito e outro na pata direita, para salvar o comerciante Osmar Persico, 47 anos. Apesar dos ferimentos, Max sobreviveu. No domingo passado, dia 30, três rottweilers impediram a ação de ladrões em uma casa no bairro Madureira, em Caxias.

Atitudes como essas mais do que provam a fidelidade dos cachorros aos seus donos. Mas por que será que eles se comportam assim? A veterinária Renata Saccaro explica:

– Para os cães, o proprietário é um ser superior, a quem devem obedecer e ser fiéis. O simples fato de pertencerem a alguém já é o suficiente para eles demonstrarem gratidão – explica.

Recentemente, estudos revelaram que o cachorro é o animal que melhor entende o homem. Responder prontamente às ordens e, muitas vezes, dar carinho quando o dono aparenta estar triste são habilidades que adquiriram ao longo de anos de convivência e que justificam a fama de animais inteligentes.

Um estudo realizado pela Universidade Eotvos Loránd, na Hungria, mostrou que muitas vezes o cão prefere ficar com seres humanos a interagir com outros cachorros.

Além de bons amigos, os cachorros são excelentes guardas. Seu olfato apurado e audição ultrassensível servem de radares, principalmente durante a noite, mesmo quando estão no mais profundo sono.

– Qualquer que seja a raça, o extinto de defesa e proteção sempre vem em primeiro lugar– acrescenta a veterinária.

Embora todos os cães possuam qualidades de guardiões, algumas raças são mais indicadas para este fim. Animais de grande porte intimidam e seu ataque é mais ofensivo. Fila, doberman, pastor alemão, rotweiller e pitbull são raças oficialmente caracterizadas como cães de guarda, mas isso não significa que os pequenos ou vira-latas não possam proteger seus donos. O boxer que salvou o comerciante de Garibaldi, por exemplo, é considerado um cachorro dócil, apesar de ser de grande porte.

Para se tornar um bom guarda, fiel, o adestrador Rodrigo Lunardi explica que qualquer cão deve receber carinho, se exercitar e aprender a ser disciplinado.

– É importante que o proprietário ensine bons modos, que podem ser através de gestos ou adestramento. O método de recompensas funciona muito, como oferecer comida após um ato de obediência do cachorro. Porém, bater no animal quando ele faz algo errado poderá torná-lo violento e traiçoeiro – detalha.

O bom convívio com um cão depende muito da submissão do animal ao proprietário. O cachorro já nasce com um instinto de defesa e de obediência. Se está em matilha, obedece ao cão líder. Quando está em casa, ao dono. Porém, nem todas as pessoas conseguem dominar seus animais de estimação.

– Uma pessoa tranquila, com comando de voz firme, conseguirá impor respeito à qualquer animal, seja ele grande ou pequeno. Já quem é inseguro e ansioso terá mais dificuldades – explica Lunardi.

Para o adestrador, a criação é tudo. O animal precisa de ar livre, de espaço, carinho e brincadeiras. Cães presos em coleiras o dia inteiro ou morando em lugares pequenos têm mais tendência a se tornarem agressivos e pouco fiéis ao dono.

Leia mais
Comente

Hot no Donna