Praticar corrida em grupo funciona

Paulinho Bof (de boné) é o organizador de dois grupos de corrida noturna em Caxias do Sul
Paulinho Bof (de boné) é o organizador de dois grupos de corrida noturna em Caxias do Sul Foto: Juan Barbosa

A corrida está na moda no Brasil. Estima-se que, hoje, mais de 4 milhões de pessoas estejam acelerando passadas em busca de benefícios como músculos tonificados, perda de peso, melhora da capacidade cardiorrespiratória e bom humor, uma vez que o exercício libera endorfina, neurotransmissor produzido no cérebro e enviado para a corrente sanguínea em momentos de estresse.

A Comissão Nacional de Corridas de Rua calcula que mais de 600 provas sejam realizadas todo ano no país. Em Caxias do Sul, são pelo menos duas competições anuais, a Rústica Municipal e a Rústica Solidária, esta última programada para o próximo dia 29. Na cidade, embora o clima frio em boa parte do ano não seja convidativo à corrida de rua, cada vez mais academias incentivam essa prática, inclusive com a criação de grupos orientados por professores de Educação Física. Às vésperas do verão, o calor pode ser um estímulo para sair do sofá e se exercitar.

– Correr em grupo funciona porque sempre há alguém mais motivado a estimular os demais. A prática começa recreacional, mas a pessoa pode descobrir que tem talento para disputar – ressalta Paulinho Bof, organizador da Rústica Solidária e proprietário de uma academia que tem dois grupos de corrida noturnos.

A estudante Luisa Pretto Comerlato, 18 anos, é um dos talentos revelados na academia de Bof. Ela pratica corrida desde os 14 anos, mas de um ano para cá começou a levar a sério os três treinos semanais. Resultado: em setembro, conseguiu completar a Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro (21,1 quilômetros) em duas horas e 10 minutos.

– A sensação de superar desafios é maravilhosa. Eu comecei a correr pensando no meu bem-estar, mas fui me desafiando a melhorar. Muitas pessoas resistem porque acham que não vão conseguir. Mas, com calma, respeitando os limites do corpo, é possível – acredita Luisa.

Para começar, motivação é essencial, mas não basta. Na mesma proporção em que o esporte é um ótimo exercício físico, também oferece riscos, como os de lesões. Antes de colocar o pé na estrada, é fundamental realizar exames médicos e buscar orientação com um profissional de Educação Física.

Quem nunca se exercitou num treino de corrida pode iniciar com caminhada ou corrida intercalada com caminhada. Correr com segurança é a garantia de uma evolução natural e da conquista dos benefícios do esporte.

Confira algumas dicas para começar a se exercitar:

> Correr melhora a capacidade cardiorrespiratória e a postura, emagrece e previne osteoporose. Também faz bem ao humor devido à liberação de endorfina após o exercício.

> Ninguém nasce com resistência para correr longas distâncias, mas a condição genética de alguns é mais favorável do que a de outros. Cada um tem seu tempo para ganhar resistência física e velocidade.

> Para iniciantes, o treino pode começar intercalando corrida com caminhada. Praticando de duas a três vezes por semana, em dias intercalados, o condicionamento físico melhora cerca de 10% por semana.

> Procurar ajuda de um profissional de Educação Física é fundamental. Praticada da maneira errada, a corrida pode resultar em fraturas, contusões e alterações cardiovasculares, metabólicas e hormonais.

> Quando praticada em excesso e sem o descanso necessário, a corrida pode gerar a síndrome de overtraining.

> Principais sintomas de overtraining: dificuldade para dormir, perda de apetite, dores frequentes em mais de um ponto, pequenas lesões, mudança de humor, irritação constante, cansaço em demasia, aumento da frequência cardíaca em repouso e inchaço.

Erros de principiante

Fonte: Marcos Paulo Reis, preparador físico

> Não aquecer antes e depois da corrida. O aquecimento adequado melhora o desempenho, e a desaceleração pós-corrida faz com que a recuperação seja mais rápida.

> Comer demais antes de treinar. Apesar da necessidade de combustível para um melhor desempenho, correr com o estômago cheio pode causar indigestão, náuseas e vômito.

> Acelerar muito cedo. A maioria dos corredores iniciantes larga em ritmo muito forte e sofre para concluir os últimos quilômetros.

Prato de corredor

Fonte: The Gatorade Sports Science Institute (GSSI Brasil)

ANTES

> O ideal é fazer uma refeição de duas a cinco horas antes de correr. A refeição ideal deve ser composta basicamente por carboidratos, moderada em proteínas e pobre em gorduras. Os carboidratos são digeridos rapidamente, enquanto a digestão de proteínas e de gorduras é mais lenta.

DEPOIS

> A refeição adequada reabastece a energia dos músculos. O ideal é comer nos primeiros 30 minutos após o exercício e fazer outras refeições pequenas depois de duas e quatro horas.

> Se não conseguir ingerir alimentos sólidos nos primeiros 30 minutos ou se não houver alimentos disponíveis, procure beber dois a quatro copos de alguma bebida esportiva ou comer uma barra energética.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna