Problemas para dormir aumentam as chances de os homens terem disfunção erétil

Pesquisadora da Unifesp conclui estudo que mulheres também sofrem com problemas hormonais ao dormir mal

Que tal um sono profundo e reparador, com direito a um despertar tranquilo e bem-humorado? Para algumas pessoas, isso não passa de utopia. Elas têm os chamados distúrbios do sono e, por não dormirem bem, sofrem com a iminência de doenças que vão da depressão à obesidade.

Um estudo feito por Mônica Andersen, professora do Departamento de Psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), pode deixar homens e mulheres que sofrem de privação do sono ainda mais preocupados. Ela conclui que homens que dormem mal têm três vezes mais chance de apresentar disfunção erétil do que aqueles que dormem regularmente bem. As mulheres também sofrem com disfunções sexuais ligadas à qualidade do sono, causadas por alterações hormonais. Ainda em fase de conclusão, outra pesquisa da professora relaciona a infertilidade com problemas para dormir.

Em um levantamento epidemiológico, o Episono (2007), ela analisou questionários aplicados a 1.042 voluntários da cidade de São Paulo. O resultado revelou que aproximadamente um terço dos entrevistados têm apneia do sono diagnosticada. Ainda nessa pesquisa, 17% dos homens disseram ter disfunção erétil ? 7% dos atingidos têm entre 20 e 29 anos e 60% têm 60 anos ou mais. Segundo ela, a privação do sono reduz os níveis de testosterona. Esse hormônio é responsável pelas características masculinas, pelo desejo sexual e pela metabolização de gorduras, entre outras funções.

A pesquisa com ratas, por sua vez, mostrou emoções extremadas. Quando no cio, ou seja, receptivas para o sexo, o desejo sexual aumentou. No entanto, fora desse período, a pesquisadora compara essa fase à época pré-menstrual das mulheres, com a rejeição aos machos levando inclusive a agressões.

Segundo ela, os resultados não podem ser simplesmente estendidos às mulheres, pois o desejo delas é muito influenciado por alterações psicológicas e pelo ciclo menstrual. Para avaliar melhor, Andersen e a ginecologista Helena Hachul, também da Unifesp, pesquisam se a privação do sono pode afetar a reprodução das mulheres. Um dado interessante, antecipado por Hachul, é que as mulheres com ciclo menstrual irregular apresentam duas vezes mais chance de ter problemas do sono.

Equilíbrio

Para o ginecologista André Baylão, o eixo hormonal da mulher ? hipófise, tireoide, pâncreas, suprarrenal e ovários ? depende da soma, equilibrada, de três ações básicas: dormir regularmente, ter boa alimentação e praticar exercícios físicos.

? Se um desses pontos falhar, com certeza influenciará o eixo ? pontua.

De acordo com ele, o GH (hormônio hipofisário responsável pelo crescimento e pelo rejuvenescimento) é produzido na fase REM (sigla em inglês para movimentos oculares rápidos; é atingido na fase profunda do sono, quando ocorrem os sonhos) do sono.

? Para mantê-lo no organismo, é preciso dormir ? acrescenta.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna