Proibição de crianças em lugares públicos divide opinião dos leitores

Resultado da interativa de Donna online destaca a responsabilidade dos pais

Cenas como esta não acontecem em alguns restaurantes
Cenas como esta não acontecem em alguns restaurantes Foto: Divulgação

A reportagem de capa de ZH Donna deste domingo abordou os lugares públicos que proíbem a entrada de crianças. A justificativa é que os clientes destes hotéis, restaurantes e até supermercados procuram tranquilidade e sossego. Crianças pequenas, teoricamente, atrapalhariam o bem-estar destas pessoas com brincadeiras, gritaria e algazarra.

Donna online perguntou a sua opinião sobre o tema. O resultado de nossa interativa confirma que este é um assunto polêmico. Os comentários dos leitores foram divididos ? e, muitos deles, bem inflamados.

No geral, prevalece a ideia de que a culpa da bagunça não é tanto das crianças, mas, sim, dos pais. Segundo os leitores, são os adultos que têm que ensinar limites para os pequenos. A mal-criação em ambientes públicos pode ser evitada com uma conversa, ou uma distração.

? Sou mãe de uma menina de 15 meses e frequentamos restaurantes desde que ela tinha 15 dias de vida. Para que ela nao incomode os demais frequentadores, sempre levo um livro e brinquedos ? diz uma leitora.

Outra sugestão que poderia satisfazer a maioria das pessoas seria a criação de espaços reservados especialmente para as crianças. Salas de recreação, ou ambientes para a família ? a exemplo de banheiros familiares de shoppings ? foram citados como alternativas à proibição total dos pequenos em restaurantes, por exemplo.

Confira todas as respostas no nosso mural.

Leia mais
Comente

Hot no Donna