Público masculino é alvo de campanha do Ministério da Saúde

Foto: Arte sobre fotos de arquivo pessoal

A cada três adultos que morrem no Brasil, dois são homens. Para tentar diminuir esses indicadores, o Ministério da Saúde apresentou ontem um conjunto de ações, visando melhorar a procura e o acesso da população masculina aos serviços de saúde do país.

Batizada de Política Nacional de Saúde do Homem, a iniciativa prevê o aumento de até 570% no valor de procedimentos urológicos e de planejamento familiar, além do aumento de 20% das ultrassonografias de próstata.

Entre as estratégias previstas está o aumento de vasectomias – para garantir a participação do homem no planejamento familiar – e de circuncisões – para reduzir o risco de transmissão de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e prevenir o tumor do pênis. A ideia é que pelo menos 2,5 milhões de homens entre 20 e 59 anos passem a procurar serviços de atendimento de saúde pelo menos uma vez por ano.

Para isso, está previsto um investimento de R$ 613,2 milhões até 2010. Deste total, R$ 105,6 milhões serão usados para aumentar o número de vasectomias, ultrassonografias e cirurgias para doenças do trato genital masculino; R$ 8 milhões para que estados e Distrito Federal preparem um plano de ação e R$ 27 milhões para compra de insumos, equipamentos e contratação de recursos humanos.

A maior quantia (R$ 455 milhões) será destinada para a capacitação e o treinamento de profissionais de saúde. Estão previstos ainda R$ 17,6 milhões para ações de comunicação.

Um dos desafios da política será tentar reduzir a resistência cultural do homem brasileiro a procurar periodicamente o médico para exames preventivos. Trabalhos encomendados pelo ministério mostram que o homem resiste a essa prática. Ele procura serviços quando o problema já está adiantado, reduzindo, assim, as chances de um tratamento eficaz.

Uma das estratégias para mudar esse comportamento é capacitar 32 mil médicos das equipes de saúde da família, campanhas de prevenção e orientação para a população masculina. Será criada a Semana de Promoção da Saúde do Homem, a ser realizada sempre no mês de agosto.

Para o ministro José Gomes Temporão, a “mudança cultural’’ que a campanha do ministério se propõe a incentivar precisa ser desenvolvida também pelos sistemas de saúde.

– Muitas vezes, pelo horário de funcionamento, pela maneira como o posto de saúde está organizado, ele está mais voltado para atender mães e crianças – comentou o ministro Temporão.

Leia mais
Comente

Hot no Donna