Que tal tomar só água da torneira?

Fãs tiraram fotos da Hello Kitty durante a inauguração
Fãs tiraram fotos da Hello Kitty durante a inauguração Foto: Everett Kennedy Brown, EFE

Você já pensou em parar de comprar água mineral e tomar só água da torneira? É isso que propõe uma campanha do Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae) recém-iniciada em Porto Alegre. Inspirado em ações bem-sucedidas em Londres, na Inglaterra, e Veneza, na Itália, o projeto pode estimular outras cidades gaúchas a fazerem o mesmo.

– Queremos estimular o uso mais nobre da água tratada, fundamentando a campanha em três pontos: a economia, a qualidade e a sustentabilidade – explica o diretor-geral do Dmae, Flávio Presser.

Somente a diminuição do número de garrafas plásticas nos aterros já parece um bom motivo. Mas as vantagens vão além: a emissão do gás carbônico resultante da produção e do transporte das embalagens também tende a diminuir. Um alívio para o planeta, uma vez que o gás é um dos maiores responsáveis pelo aquecimento global.

– A partir do momento em que as pessoas começarem a consumir mais a água tratada, vai aumentar também a preocupação com a preservação do rio onde essa água é captada – complementa a engenheira química Adriene Maria Sampaio Pereira.

Muitos consomem água mineral pois têm dúvidas quanto à qualidade da água encanada. Para Adriene, a legislação brasileira é eficiente na regulação da água distribuída à população e destaca que as empresas de tratamento têm a responsabilidade de realizar testes nas águas que entram e que saem das estações, além das análises nas redes de distribuição. Até o hidrômetro, as empresas têm a obrigação de lançar um produto de qualidade. A partir daí, a responsabilidade é do consumidor: a cada seis meses, a caixa d’água deve ser limpa.

Mas não é porque as companhias têm o dever de prestar um serviço de qualidade que a população não deve desconfiar. Alterações nas características, mesmo que na maioria das vezes não signifiquem perda da potabilidade, devem ser esclarecidas.

– Gosto, transparência e odor são critérios do leigo para identificar se a água é boa ou não. Mesmo assim, as pessoas não tem que ter medo de perguntar e tirar as dúvidas com as empresas quando desconfiarem que a água saiu do padrão – alerta Adriene.

As vantagens da água da torneira

Faça as contas
– Uma garrafa de 500ml de água mineral custa, em média, R$ 1,50.
– Pela torneira, mil litros de água tratada saem por R$ 2,02 para o consumidor.
–  Imagine que esses mil litros tivessem de ser comprados embalados, no supermercado. O gasto, em garrafas de 500 ml, seria quase 1,5 mil vezes maior: você desembolsaria R$ 3 mil.

A campanha pelo mundo
– Em Londres, grandes cadeias de restaurantes e celebridades como o chef de cozinha Jamie Oliver apoiam o projeto. Na internet, há uma lista de estabelecimentos que oferecem a seus clientes a opção de consumir água da torneira. Segundo a Thames Water, maior companhia de tratamento e distribuição de água da Inglaterra, um litro de água de torneira emite 0,3 gramas de gás carbônico, enquanto 750ml de água mineral pode emitir até 300 vezes mais.
– Em Veneza, estima-se que a quantidade de lixo plástico produzido por mês foi reduzido de 288 toneladas no ano passado para 261 toneladas.
– Em Nova York, o governador David Paterson exigiu a instalação de bebedouros nas repartições públicas do Estado. Até maio de 2010, elas estarão proibidas de comprar água mineral.

Que tal começar?
– Quem está acostumado a beber somente água mineral vai sentir a diferença ao consumir água da torneira. Na água mineral, dificilmente o padrão de sabor se altera entre uma garrafa e outra. Já a água da torneira, como depende de diversos fatores na sua distribuição – como a qualidade da água captada e as formas de tratamento –, pode apresentar características diferentes ao longo do tempo.
– Sabor, gosto e cor alterados não significam que a água não é potável. Se tiver muita pressão, pode ficar um pouco mais turva do que o normal. No verão, é comum que a água de Porto Alegre tenha sabor diferente, em virtude da proliferação de algas no Guaíba.
– O contrário também acontece: a água de nascentes, por exemplo, pode ser transparente, inodora e sem gosto, mas não ser própria para o consumo. Procure saber sempre a procedência da água que você bebe.
– Tem dúvida se a água é potável? Procure a companhia de abastecimento da sua cidade para se informar sobre a qualidade.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna