Ricky Martin diz em livro que só amou um homem e uma mulher

Cantor se declarou gay no início do ano e agora lança biografia

Autobiografia que tem lançamento mundial hoje
Autobiografia que tem lançamento mundial hoje Foto: Divulgação

Yo (“Eu”). Assim puro, simples, limpo. Com esse título o astro pop Ricky Martin batizou sua autobiografia, que tem lançamento mundial hoje. Em 300 páginas, o cantor lava a alma e fica de cara com a verdade.

Ricky conseguiu contar sua história com simplicidade. Afinal, se existe uma coisa que ele nunca teve foi uma vida comum. Conheceu o sucesso aos 12 anos, no badalado Menudo. Com o fim do grupo, cada um dos integrantes tomou seu rumo. Ricky também ficou fora da mídia. Até que voltou em grande estilo.

? Dá para dizer que minha vida se divide antes e depois de Livin’ la Vida Loca, antes e depois de ser pai, antes e depois de assumir a minha sexualidade.

O Ricky Martin dos palcos, que na intimidade é apenas Kiki, diz que viveu no céu da fama e no inferno da realidade. Passada a febre de Livin, e com 60 milhões de discos vendidos, o cantor resolveu se recolher e descobriu que as lições da vida são aprendidas em absoluto silêncio.

Aos 30 anos, era hora de se encontrar. No livro, ele relata que, desde que se entende por gente, sente forte atração por homens uma química com as mulheres. “Mas são os homens que despertam meu lado mais instintivo, mais animal.” No livro ele conta seus relacionamentos mas sem citar os nomes verdadeiros dos ex-namorados.

Em 2005, Ricky foi para a Índia e decidiu assumir a sua sexualidade. O cantor considerado um sex symbol latino, motivo de cobiça de homens e mulheres, tinha receio de falar em público que era gay. Temia que a revelação pudesse desestabilizar não só a vida profissional, mas a emocional também.

Começou então a realizar pequenas mudanças, meio que preparando o público para o seu momento. Na turnê Black and White exibia um vídeo onde sua pele “falava” por meio de tatuagens com as palavras “aceite-se” , “descubra-se”.

Hoje, aos 36 anos e livre dos temores que o perseguiram, esse porto-riquenho, pai dos gêmeos Valentino e Matteo, de um ano e sete meses, não quer mais viver à sombra do medo.

? Tenho orgulho de ser quem sou.

Ricky revela que sempre se sentiu atraído por homens, mas bloqueou seus sentimentos homossexuais porque escutava que isso era ruim e que, apesar de ter tido muitos relacionamentos, só amou um homem e uma mulher.

LIVRO
Eu. De Ricky Martin. Editora Planeta. 300 págs. R$ 30

Leia mais
Comente

Hot no Donna