Romantismo futurista é destaque em Milão

Semana de Moda apresenta coleções de Cavalli, Gucci, Versace e outros

Transparências de Cavalli são apresentadas para uma mulher versátil
Transparências de Cavalli são apresentadas para uma mulher versátil Foto: Matteo Bazzie, EFE

A Dolce&Gabbana apresentou uma coleção de moda feminina primavera-verão 2009 que combina o romantismo discreto com elementos geométricos de ar futurista. Realizado à margem da Semana de Moda de Milão, da qual a grife se distanciou por considerá-la “um circo”, o desfile da grife italiana foi acompanhado por famosos como Jennifer López e seu marido Marc Anthony e pelas modelos Naomi Campbell e Claudia Schiffer.

O lado mais clássico, inclusive aristocrático, das propostas da Dolce&Gabbana está nos tons monocromáticos pouco chamativos de roupões, pijamas de seda, jaquetas largas e saias cilíndricas, além de complementos como colares, jóias e bolsas de pele. A inovação nestas criações está no corte baseado em todo tipo de elementos geométricos, que alteram o aparente conservadorismo, especialmente nas ombreiras e nas mangas.

Dentro do calendário oficial, Donatella Versace mostrou uma linha que, através da exploração de formas inovadoras e das novidades nos tecidos, tenta tornar a moda “desejável” em tempos de crise, segundo suas palavras, especialmente para clientes que querem “se impor” com a roupa que vestem. A seda e o algodão são utilizados para aparentar materiais “acartonados”, enquanto o organdi adquire o aspecto da pele de um réptil. Uma proposta arriscada, que, segundo a criadora, busca uma combinação da estética com o econômico, contrabalançado com o ponto romântico dado pelos vestidos para a noite e alguns dos acessórios exibidos. 

Pelas mãos de Karl Lagerfeld, a Fendi também se inclina por uma grande dose de criatividade para enfrentar os tempos difíceis, com formas geométricas insólitas e freqüentemente exageradas que desenham uma mulher quase arquitetônica.

Outras características que ressaltam o perfil audaz dos desenhos são as peças futuristas e inspiradas na alta tecnologia, assim como detalhes de grande luxo como peles, inevitáveis nas criações da Fendi, jóias e tecidos suntuosos.

Na coleção da Max Mara, as vedetes foram as peças únicas que vestem todo o corpo, especialmente práticas e confortáveis para a mulher que vive em movimento, mas sem renunciar à elegância e à sensualidade de formas envolventes e suaves.

Tanto nos larguíssimos macacões e jardineiras para o dia-a-dia, como nos curtíssimos e justos vestidos para a noite predominam cores discretas como cinza, marrom, branco e preto, embora também caibam opções mais arriscadas como tons brilhantes de azul violeta e amarelo, assim como estampas florais.

O estilista italiano Roberto Cavalli destacou o corpo feminino com suas transparências, para mostrar uma mulher versátil, que pode optar por mostrar ingenuidade e doçura ou agressividade e sensualidade. Para a primeira opção, Cavalli propõe tanto vestidos curtos colados ao corpo, como longos cheio de movimento que têm o branco como cor básica. Já para a segunda, a mudança vem marcada pelas cores, pois para ela se pensa em tons mais escuros, com predomínio do preto.

Já Frida Gianinni, coração e mente da Gucci, confirma mais uma vez que esta é a marca de luxo, com propostas que dão um toque de distinção e elegância. Na temporada primavera-verão, a Gucci quer mostrar sua força e seu espírito aventureiro.

Durante o dia, a mulher Gucci veste pequenas túnicas de chiffon que se alternam com ternos com cores chamativas, como o azul combinado com cores fortes como o vermelho. O estilo garçom ganha destaque em uma coleção em que as calças são folgadas na parte superior, se estreitam na altura do joelho e acabam logo acima do tornozelo, deixando à vista as sandálias de saltos muitos altos. O complemento imprescindível está nos chapéus panamá e os óculos de sol de haste metálica, que permitirão enfrentar qualquer tipo de dia.

Leia mais
Comente

Hot no Donna